Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mais de 31 milhões de eleitores elegerão prefeitos de 50 cidades no segundo turno

Em meio às siglas que se destacaram, PT, PMDB e PSDB e as que sucumbiram ao voto, DEM, eleitores se preparam para a segunda fase de disputa 08/10/2012 às 16:00
Show 1
Os eleitores das 50 cidades que tem candidatos a prefeituras com decisão no segundo turno estão em 17 capitais e 33 municípios
Marcos Chagas/Agência Brasil ---

No dia 28 de outubro, data do segundo turno das eleições municipais, 31,7 milhões de eleitores, residentes em 50 cidades com mais de 200 mil votantes, retornarão às urnas. Estas pessoas residem em 17 capitais e 33 municípios.

O Democratas perdeu espaço nessas eleições. Não fosse a disputa em Salvador (BA), terceiro colégio eleitoral entre as capitais, com 1.881.554 votantes, o DEM teria se igualado a pequenas legendas. Além de Salvador, disputará o segundo turno em Vila Velha (ES) e Londrina (PR). O DEM elegeu, em primeiro turno, o prefeito de Aracaju (SE), João Alves Filho.

PT, PMDB e PSDB demonstraram a força de seus partidos tanto nas capitais quanto nos maiores municípios. O PT vai para o segundo turno em cinco capitais, entre elas Salvador (BA) e 17 outras cidades do interior. O partido disputará em confronto direto com o PSDB o comando de São Paulo, capital com o maior número de eleitores (8.619.170 votantes).

O PSDB, principal partido de oposição, além de ter a oportunidade de eleger o prefeito de São Paulo, disputará em segundo turno o comando de outras 15 prefeituras – seis capitais e nove municípios do interior com mais de 200 mil eleitores.

O PMDB, um dos maiores do país desce sua criação, reelegeu em primeiro turno o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, segundo maior colégio eleitoral com 4.719.607 votantes. Os peemedebistas disputarão o segundo turno em Campo Grande (MS), Natal (RN) e Florianópolis (SC), além de outras 13 grandes cidades do interior.

O PSB, reelegeu Márcio Lacerda para mais quatro anos de administração de Belo Horizonte (MG), quarta capital com maior número de eleitores, com 1.860.172 votantes. Os socialistas disputarão o segundo turno em Fortaleza (CE), Cuiabá (MT) e Porto Velho (RO) e em outros três municípios de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

O PSD, que participou de seu primeiro teste eleitoral depois da sua criação, vai para o segundo turno em Florianópolis (SC) e outras quatro cidades do interior nas regiões Sul e Sudeste. O partido foi criado em uma articulação que envolveu o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e lideranças políticas de diferentes legendas, como o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, principal expoente do PSB. Para o novo partido migraram políticos com e sem mandatos de várias outras legendas, principalmente do DEM.

O PDT disputará o segundo turno em Curitiba (PR), Natal (RN) e Macapá (AP), além de outros cinco municípios do interior. Desses, três são do Rio de Janeiro, estado onde a legenda tem um forte desempenho. O PP irá concorrer em quatro cidades com mais de 200 mil eleitores, entre elas, a capital Campo Grande (MS).

O PTB é outro partido de tradição eleitoral que saiu fraco das urnas. Para o segundo turno, concorrerá apenas em Teresina (PI) e Santo André (SP). O PCdoB terá candidatos em Manaus (AM) e outros três municípios. O PPS e o PR também concorrerão com três candidatos no segundo turno. O PPS disputará a prefeitura de Vitória (ES) e dois municípios e o PR outros três municípios do interior.

O PSOL tem candidatos nas capitais Belém (PA) e Macapá (AP), mas não concorre em cidades do interior. Outros partidos que disputarão o comando de capitais figuram o PSC, em Curitiba (PR); o PTC, em São Luís (MA); o PV em Porto Velho (RO), além do município paulista de Diadema. O PRB pode ganhar em Montes Claros (MG) e o PRTB em Belford Roxo (RJ).