Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mais de 500 motociclistas saem de Manaus, hoje, para encontro internacional em Boa Vista (RR)

Amantes das duas rodas vão percorrer mais de 800 quilômetros para chegar ao 9º Encontro Internacional de Alta Cilindrada 13/10/2015 às 18:56
Show 1
Amantes das duas rodas vão percorrer mais de 800 quilômetros até Boa Vista para um evento de alta cilindrada
Isabelle Valois Manaus (AM)

Receber uma jaqueta de couro com o símbolo de um grupo de moto clube em Manaus é assumir uma responsabilidade, mas ao mesmo tempo gratificante, pois passou no teste e aprovação do clube e nas normas em geral.

O moto clube ultrapassa o simples prazer de gostar de uma motocicleta. Pois, além da habilitação, o motociclistas precisa ser exemplo para a sociedade, e para isso, precisa respeitar todas as normas de trânsito e segurança.

Quando a pessoa resolve fazer parte de um moto clube, além de solicitar a participação da presidência do clube, passam aproximadamente seis meses em observação, é quando recebe, na própria linguagem dos motociclistas, ‘a metade de uma jaqueta’, que seria a jaqueta sem nenhum emblema de qualquer grupo.

Se o motociclista passa pela avaliação sem cometer qualquer inflação, ele recebe a jaqueta completa com o bordado, mas as ordens permanecem, pois para os moto clubes, todos os integrantes carregam a responsabilidade de zelar o nome do clube no qual fazem parte.

Em Manaus, há um dos moto clubes mais antigos da região Norte, “Almas Livres”, e que neste mês completou 31 anos.  O presidente do conselho fiscal do moto clube, Fernando Vieira, 55, contou que assim como os demais clubes de modais que existem em Manaus, os moto clubes também realizam semanalmente seus passeios e encontros do grupo, dos grupos em geral e encontro familiar.

Fernando Vieira é funcionário público, e disse que com seus 17 anos, se apaixonou perdidamente pela motocicleta, mas foi em 1977 que começou a fazer parte do moto clube, onde o ponto de encontro naquela época era no cine Ipiranga.

“Desde aquela época já tinhamos a tradição de andarmos pelas ruas de Manaus e estrada de forma respeitosa, para sermos exemplos aos demais apaixonados pelas motocicletas e hoje não é diferente, pois fazer algo que gostamos e amamos, deve ter todo o cuidado”, disse.

O motorista Jean Wandame Silva de Oliveira, 24, descobriu a paixão pela motocicleta com um amigo mais próximo. Jean e a esposa Rosana Wanessa Monteiro, 29, estão em processo para ganhar a jaqueta do moto clube “Águias do Apocalipse”.

O amigo de Jean, além de apresentar o gosto pela motocicleta, o convenceu a participar de um dos moto clubes em Manaus. “Quando vi o laço de amizade dos integrantes do grupo, percebi que havia encontrado a minha turma. Levei a minha esposa para participar de um encontro familiar e ela também descobriu a paixão”, completou.

Rosana por enquanto é garupeira, mas pretende tirar habilitação nos próximos meses. Além de estarem em processo de avaliação eles irão participar pela primeira vez do 9º Encontro Internacional de Alta Cilindrada que acontece em Boa Vista (RR), nos dias 16 e 17 deste mês.

A edição deste ano espera receber mais de 120 motoclubes do Brasil e países vizinhos.

Pé na estrada para Roraima

Integrantes dos grupos de moto clube de Manaus saem hoje (14) para uma viagem de 12 horas com destino ao 9º Encontro Internacional de Alta Cilindrada que acontece em Boa Vista (RR). São mais de 500 motoqueiros que devem colocar o pé na estrada.

O evento ocorre nos dias 16 e 17 de outubro e além da turma brasileira, acolherá os moto clubes do Peru, Colômbia e Venezuela. De acordo com o vice-presidente do moto clube Águias do Apocalipse, Gilmar Costa, o encontro é uma forma de confraternização para os amantes e respeitadores das duas rodas.

O evento é tradicional em Roraima e promete ser mais um encontro para os amantes de motos de alta cilindrada e do rock'n roll.

Frase

"Pilotar uma motocicleta não é simplesmente assumir uma aventura pelas ruas da cidade, mas ser um exemplo com o respeito para as normas e legislações do trânsito, e modelo para os demais veículos". Fernando Vieira, funcionário público