Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mania inusitada: Aposentada coleciona santinhos de missas

Raimunda Gonçalves Mangabeira guarda, desde os anos 60, as lembranças deixadas por parentes nas missas de sétimo dia 01/02/2013 às 09:27
Show 1
Mesmo doente, Raimunda Gonçalves Mangabeira não perdeu o hábito de colecionar os santinhos das missas de sétimo dia
ana celia ossame ---

Aos 82 anos de idade, a aposentada Raimunda Gonçalves Mangabeira, moradora do bairro de Aparecida, Zona Sul, tem em casa uma coleção inusitada: há mais de três décadas guarda os convites recebidos para missas de sétimo dia. O interesse pela coleção começou com o convite da morte de parentes como o pai, a mãe e outros, na década de 60 e desde aí, cuidadosamente, ela começou a organizá-los em álbuns de fotografias.

Ela tem por exemplo, o convite da missa de personalidades da cidade como do radialista Josue Claudio de Souza e do ex-senador João Bosco Ramos de Lima. Eram pessoas admiradas por ela, pelo papel desempenhado na sociedade amazonense. “Quando eu sabia que ia ter missa de sétimo dia, eu procurava ir para guardar os santinhos”, disse ela, cuja coleção é também uma forma de lembrar as pessoas conhecidas dela.


Como sempre gostou de guardar objetos, os santinhos das missas chamaram a atenção  por serem bem elaborados e pelo valor emocional que carregam. “Sempre tem uma mensagem de carinho, uma homenagem ao falecido e isso é muito bom, dá um conforto à família”, afirmou ela, que há alguns dias fraturou o braço numa queda e teve que deixar a casa onde mora para ficar na de parentes enquanto se recupera.

Manauense, solteira, sem filhos e católica fervorosa, Raimunda trabalhou como vendedora e sempre morou sozinha. Quando aconteciam as celebrações as idas nas missas de sétimo dia eram sagradas e nelas cuidava não só de pegar os santinhos para a coleção, mas também de prestar atenção na mensagem sacerdotal, como faz questão de explicar.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).