Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manifestação pede justiça por morte de motociclista atropelado propositalmente em Manaus

Ato é um clamor por mais amor, respeito, tolerância, segurança e união; manifestantes também clamam por menos impunidade, violência e desrespeito 20/01/2016 às 20:17
Show 1
Condutores que passaram pelo local manifestaram apoio à pauta do ato
Luana Carvalho Manaus (AM)

CONFIRA O VÍDEO DA MANIFESTAÇÃO

“Ficou bem claro que o motorista do Siena teve a intenção de matar e pode ser considerado um assassino”, relembra Solon Brandão, dono de um dos veículos atingidos no dia em que o biólogo Rodrigo Elias Costa, 30, foi morto após uma briga de trânsito.

Solon estava voltando do trabalho e por um acaso viu a manifestação onde amigos e parentes da vítima pediam justiça e paz no trânsito, na Bola do Mindu, bairro Parque 10, Zona Centro-Sul. nesta quarta-feira (20). “Fiquei todo arrepiado. Quando vi o movimento de pessoas, pensei: ‘isso só pode ser para ele’”, disse, referindo-se à manifestação.  

Às 17h os manifestantes saíram em caminhada na avenida  Maneca Marques, no mesmo local onde Rodrigo foi atingido por um  Fiat Siena, de placas JXK-4201. O motorista do automóvel, Brayen Santana Siqueira, 23, fugiu sem prestar socorro à vítima.  Emocionados e munidos de cartazes, faixas e apitos, os manifestantes pediam mais amor, respeito, tolerância e segurança no trânsito. Também clamavam por menos impunidade e violência. 

O ato marcou uma semana de morte de “Panda”, como a vítima também era conhecida.  No entanto, segundo os organizadores, a manifestação também foi para lembrar todas  as vítimas do trânsito.

“Queremos alertar toda a sociedade da violência  que estamos vivendo. Porque hoje o perigo não está só em uma noitada, ou em uma área vermelha. O perigo é constante no trânsito. Nossa justiça não pode perder o controle da situação. É de indignar”, desabafa o pai da vítima, Carlos Alberto Costa.

Ele conta que Rodrigo tinha uma vida inteira pela frente. “Ele estudou, se formou, falava inglês e tinha um futuro promissor. Tinha uma filha pequena e foi morto por causa de uma discussão no trânsito”, lamentou. 

Apoio dos motoristas

Os manifestantes chegaram a bloquear a avenida Maneca Marques e uma via da rotatória do Mindu algumas vezes e foram apoiados pelos motoristas que estavam no trânsito. “Eu sou a favor porque o que eles estão fazendo é para o bem de todos. A violência está demais e hoje vemos muitas pessoas de bem perdendo a vida por causa do trânsito”, comentou Lucia Vieira, 27.

Depois da caminhada, os manifestantes seguiram para a Igreja Nossa Senhora de Lourdes, no mesmo bairro, onde aconteceu uma missa em homenagem a Rodrigo.

'Foi para matar'

O acidente de trânsito aconteceu há uma semana.  Rodrigo Elias Costa, 30, morreu na avenida Maneca Marques, Parque Dez, na Zona Centro-Sul, após se envolver  em um acidente de trânsito. Segundo testemunhas, antes do acidente, em certo trecho da rotatória do Mindu, no Parque Dez, o motociclista e o condutor do Fiat Siena, de placas JXK-4201, identificado como Bryen Santana Siqueira, 23, tiveram uma discussão.

Alguns metros depois, os dois envolvidos continuaram a discussão, quando Bryen manobrou o carro para cima da motociclista, fazendo Rodrigo cair na pista e ser atropelado por outro veículo, o Fiat Uno de cor azul claro e de placas JWF-5209. “Ele fez para matar. Ele jogou o carro propositalmente no motociclista”, afirmou o condutor do Fiat Uno, Kaio Azevedo, na ocasião do acidente. Mesmo tendo fugido do local do crime, o suspeito se apresentou no 23º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e responde ao crime em liberdade.

Exonerado da SSP

Brayen Santana Siqueira, 23, suspeito de matar o biólogo Rodrigo Elias Costa, 30, era servidor temporário da Corregedoria-Geral da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e  foi exonerado do cargo na última terça-feira, por ordem do secretário de segurança Sérgio Fontes.

Seis meses de CNH

De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), Bryen estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) definitiva há apenas seis meses.A habilitação foi suspensa e ele ficará  até um ano sem dirigir.