Publicidade
Cotidiano
Largo São Sebastião

Manifestantes pró-Dilma acompanharam votação no Largo São Sebastião

Com as cores do PT e verde e amarelo, manifestante a favor de Dilma assistiram votação do Impeachment no Centro. De acordo com a organização, cerca de 5 mil pessoas passaram pelo Largo neste domingo 17/04/2016 às 23:48 - Atualizado em 18/04/2016 às 09:01
Kelly Melo Manaus (AM)

Centenas de pessoas que aderiram ao movimento pró-Dilma se concentraram no Largo São Sebastião, no Centro, para acompanhar a votação dos deputados federais que, ontem, decidiram pela abertura do processo de impeachment contra Presidenta da República, Dilma Rouseff. 
Com camisas vermelhas, verde e amarelas, cartazes e faixas, manifestantes de  todas as idades estavam confiantes em um resultado favorável ao governo, mas a medida em que o  “SIM”  foi ganhando vantagem, o público começou a dispersar.  
Conforme os organizadores do evento, aproximadamente cinco mil pessoas passaram pelo largo de São Sebastião desde o início da tarde até os momentos finais da votação. No entanto, o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) informou que o público flutuante chegou a dois mil manifestantes. 
Para Yann Evanovick, do movimento Frente Brasil Popular, independente de resultado a luta por um Brasil melhor e sem corrupção vai continuar. “Estamos construindo uma nova história e o Brasil será outro a partir de amanhã (hoje). A luta vai continuar  para mobilizar as pessoas pela democracia do nosso país”, afirmou ele. 
Integrantes movimentos sociais, como Movimento Sem Terra (MST), sindicais, como Central Única dos Trabalhadores (CUT), e estudantis, como União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), União Nacional dos Estudantes (Une), União Estadual dos Estudantes (UEE), dentro outros também estavam presentes na manifestação, hasteando suas bandeiras e  gritando palavras de ordem como “Fora golpistas” e “Não vai ter golpe”. 

A professora aposentada Madalena Farias, 73, que há 24 anos  também foi às ruas no processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo, disse que desta vez  não há motivos para o impedimento de Rousseff.  “Naquela época houve um crime de fato, mas hoje os parlamentares estão promovendo um golpe  democracia. Estou na rua novamente porque é importante continuarmos na luta”, afirmou. 

 

Parlamentares do PT na manifestação

Parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) também acompanharam a votação do processo de abertura do impeachment no Largo São Sebastião. O vereador Waldemir José criticou os parlamentares que votaram a favor do impedimento. “Estamos  vendo uma situação que parece mais uma brincadeira. Isso é uma farsa porque não existe crime, e não houve pedalada fiscal. A resistência vai continuar e a luta está nas ruas”, disse ele.  
“O golpe está caracterizado e o temos que nos perguntar é quem vai ficar no lugar da presidenta? É uma situação delicada, pois estamos a beira de ver projetos sociais como o Minha Casa, Minha Vida não terem continuidade. Lamentável”, opinou o deputado estadual José Ricardo (PT). Durante a votação, os manifestantes gritavam e aplaudiam a cada voto contra o impeachment. Os votos favoráveis ao impedimento eram hostilizados.

 

Manifestação pacífica

De acordo com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), aproximadamente 130 policiais militares foram empregados no entorno do  Largo São Sebastião, no Centro, durante as manifestações a favor da presidente  Dilma Rousseff. Para o coordenador do CICC local, major Fábio Honda, a manifestação foi considerada tranquila e pacífica. “Não tivemos o registro de nenhuma ocorrência e a manifestação ocorreu tranquilamente. Conversamos com organizadores para nada fugisse da normalidade”, informou. Segundo Honda, desde o início da tarde o público flutuou bastante. Ao todo, aproximadamente 2 mil pessoas estiveram no Centro para acompanhar a votação.