Publicidade
Cotidiano
Notícias

Menina de seis anos desaparece na porta da escola

A criança foi deixada pelo irmão na porta da Escola Municipal Senador Álvaro Botelho Maia e sumiu do local 28/08/2012 às 10:16
Show 1
No local, não havia nenhum funcionário no portão para receber as crianças na hora da entrada, por volta de 7h
Maria Derzi ---

Uma criança de seis anos de idade desapareceu da porta da escola municipal Senador Álvaro Botelho Maia, localizada na rua Santa Etelvina, bairro Cidade de Deus, Zona Norte, na manhã dessa segunda-feira (27).

Segundo a mãe, Eliete Negreiros, a filha foi levada por volta de 7h para a escola em companhia do irmão. “Como eu tinha que trabalhar, o irmão dela foi levá-la à escola e ficou esperando as crianças entrarem, como sempre. Elas entram em fila e ele só saiu de lá quando a minha filha já estava dentro do pátio da escola”, disse a mãe da menina, que registrou boletim de ocorrência no 13º Distrito Integrado de Polícia.

Eliete afirma que, por volta de 11h outra irmã da menina, foi buscar a criança na escola e ficou esperando no local, até que a menina saísse, mas não encontrou ninguém. “A minha filha perguntou sobre o paradeiro da irmã e a professora disse que ela tinha faltado aula. Ficamos desesperados e a diretora teve a coragem de dizer que a minha filha não tinha entrado na escola”, disse a mãe. Eliete e o filho perguntaram às demais crianças sobre o paradeiro da menina. “Uma coleguinha dela disse que viu ela entrando na escola e depois saindo, indo para a esquina”, disse Eliete.

O irmão reafirmou que deixara a menina na frente da escola. “Eu só saí de lá quando ela entrou”, disse.

Falta contestada

A diretora da escola, Eliomara Ferreira, nega que a criança tenha comparecido à aula durante a manhã de ontem. “Temos certeza de que ela não entrou na escola. Se ela tivesse entrado, a professora teria dado a frequência dela”, disse.

A diretora da escola justificou que o irmão da menina estaria mentindo. “Nosso horário de aula começa às 7h30. Ele não esperou a irmã entrar na fila da escola porque ele tem que estudar na escola estadual Letícia Campos”, justificou.

O caso está sendo investigado pelos policiais do 13º DIP que informaram que vão verificar as imagens gravadas por câmeras de segurança instaladas na frente da escola.