Publicidade
Cotidiano
ALERTA

Mesmo com tratamento eficaz, tuberculose matou 139 pessoas no AM em 2017

Apesar de a tuberculose ter diagnóstico simples, tratamento altamente eficaz e medicamento gratuito oferecido pelo SUS. Oito já morreram vítimas da doença em 2018 13/03/2018 às 07:05 - Atualizado em 13/03/2018 às 09:21
Show tuberculose
Foto: Carol Garcia/Secom
Silane Souza Manaus (AM)

A tuberculose ocasionou a morte de 139 pessoas ano passado, no Amazonas. Embora a quantidade pareça pequena em relação ao número de novos casos da doença registrado no mesmo período (3.117) ainda preocupa porque se trata de uma patologia que tem diagnóstico simples, tratamento altamente eficaz e medicamento gratuito oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). 

Quem evidencia tal situação é a coordenadora do Programa Estadual de Controle da Tuberculose, Marlúcia Garrido. “Pode parecer pouco o número de mortes, mas uma doença que tem cura não deveria morrer ninguém por causa dela”, enfatiza salientando que os principais fatores que levam as pessoas a óbito por tuberculose é o diagnóstico tardio e o abandono do tratamento. 

Conforme ela, ao ser diagnosticado com a doença, o paciente precisa ter disciplina com o tratamento, mantendo a regularidade de ingestão do medicamento recomendado para evitar que a bactéria fique resistente às drogas. “A tuberculose não se cura em menos de seis meses e se a pessoa se tornar resistente a medicação não ficará curada em menos de dois anos”, destacou.

Marlúcia ressaltou que tosse por mais de quinze dias, acompanhadas ou não de cansaço, perda de peso e febre no final da tarde, são os principais sinais da doença, que é infectocontagiosa e transmitida por vias aérea, de pessoa doente sem tratamento para pessoa sadia. “Ter tosse não é normal. Tem que investigar. Procure qualquer unidade básica de saúde para fazer o exame”, afirmou.

Durante todo este mês, inclusive, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) estará intensificando as ações de combate à tuberculose para alertar a população sobre a doença e o tratamento para cura. A programação é alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, celebrado no próximo dia 24, e inclui, além do reforço nos atendimentos para diagnóstico, a promoção de palestras informativas, com campanhas em Manaus e no interior do Amazonas.

Referência no tratamento à doença, a Policlínica Cardoso Fontes, na rua Lobo D'Almada, Centro de Manaus, dará início às atividades alusivas à data, a partir de amanhã, até o dia 21, intensificando as ações de prevenção, com prioridade para exames de diagnóstico. Durante toda a semana, na unidade, serão realizadas atividades informativas, como cine-fórum, palestra sobre cuidados, sintomas, prevenção e tratamento.

De acordo com o secretário estadual de saúde, Francisco Deodato, um dos objetivos é fortalecer as políticas públicas de prevenção para reduzir o número de casos da doença, que este ano chega a 311 novos casos. Oito pessoas morreram este ano, no Amazonas, vítimas da doença. Em 2017, este número a quantidade (139) foi 8,5% menor que a registrada em 2016, quando houve 152 óbitos.

Atenção básica

O secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, informou que uma das políticas de governo é fortalecer a atenção básica, em conjunto com as secretarias municipais, para diminuir os casos da doença. “Por isso, temos nos reunidos com representantes de cada município, para analisar de que formas podemos trabalhar em conjunto, com essa perspectiva”, afirma.

Campanha de sensibilização

Em Manaus, a programação alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, celebrado no próximo dia 24, inclui ainda a caminhada temática “Amazonas livre de tuberculose - abrace essa causa”, que será realizada no dia 23 deste mês. A concentração será às 8h, na Praça Heliodoro Balbi, a  Praça da Polícia, no Centro.

No interior, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) fez nessa segunda-feira (12), a abertura da programação alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose no município de Rio Preto da Eva (a 57 quilômetros de Manaus), com a realização de Inquérito de Tuberculose, com busca ativa de casos que devam ser encaminhados para tratamento.

Fonte Boa (distante 887 quilômetros de Manaus) recebe até sexta-feira (16) o “Seminário de Manejo da Tuberculose”. E para alcançar os 61 municípios do interior, no dia 21 deste mês, às 17h, membros do Comitê Estadual de Tuberculose participarão de uma videoconferência que será transmitida pelo Centro de Mídias da Seduc-AM.

Publicidade
Publicidade