Publicidade
Cotidiano
Notícias

Ministério da Saúde pretende vacinar 144 mil indígenas em um mês no Amazonas

O objetivo do órgão é imunizar 180 mil indígenas de 305 etnias no País, indo às aldeias e áreas de difícil acesso, onde é complicado chegar a cobertura vacinal 06/05/2014 às 11:16
Show 1
Governo federal montou um esquema especial de logística para imunizar os povos indígenas que vivem nas aldeias
Jornal A Crítica ---

Durante o Mês de Vacinação dos Povos Indígenas deste ano, que teve início no último dia 30 e prossegue até o dia 29 de maio, serão oferecidas no Amazonas 175 mil doses contra: influenza, hepatite B, paralisia infantil, difteria, tétano, coqueluche, meningite, gripe, caxumba, febre amarela, entre outras doenças.

O objetivo do Ministério da Saúde é imunizar a população indígena do País indo às aldeias e áreas de difícil acesso, onde é complicado chegar a cobertura vacinal. Em todo o Brasil, num investimento de R$ 5 milhões entre aquisição de insumos e imunobiológicos, logística e transporte para a ação, serão oferecidas 249 mil doses de vacinas.

A finalidade é atingir, no total, 180 mil pessoas de 305 etnias em 1.144 aldeias de todo o País. A multivacinação será levada à população indígena dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), existentes em 18 estados.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, durante a campanha, que acontece concomitantemente à campanha da vacina contra gripe, a meta é atingir, na região Norte, 154.720 indígenas, incluindo a população dos sete Distritos Sanitários localizados no Amazonas (141.454 pessoas) e parte dos DSEIs nos arredores, que ficam no Alto Purus (3.791); Porto Velho (1.550) e Yanomami (7.925). Serão contempladas com a imunização, ainda de acordo com o Ministério da Saúde, 390 aldeias no Amazonas.

A população indígena receberá todas as vacinas do calendário vacinal recomendado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o foco principal será dado aos grupos mais vulneráveis: crianças menores de cinco anos, mulheres em idade fértil e idosos.

Logística

Para garantir alcançar a meta, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) realizará uma extensa operação, com o envolvimento de 3,7 mil agentes indígenas de saúde e de saneamento. A logística dessa vacinação é diferenciada, pois leva em consideração as especificidades dessa população e as necessidades de transporte das equipes e dos insumos até as aldeias, seja por meio de carro, barco, helicóptero ou avião. Apesar do Amazonas ser um Estado com dimensões continentais, a logística para atendê-lo deverá ser a mesma já utilizada de acordo com a especificidade de cada local do País, podendo ser utilizado transporte terrestre, fluvial e aéreo.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, destacou, durante a solenidade de lançamento da campanha, a importância do deslocamento das equipes de saúde até as reservas para alcançar populações que vivem de forma dispersa em aldeias que estão em área de difícil acesso. Segundo ele, este é um mês intensivo para aumentar a cobertura de todo o calendário vacinal e garantir a imunização dos povos indígenas, em especial os que estão localizados em áreas longínquas. “A campanha ajuda na prevenção de doenças que podem ser evitadas, contribuindo para a promoção da saúde desses povos”, explicou.