Publicidade
Cotidiano
Notícias

Ministério da Saúde vai repassar R$ 6 milhões para realizar cirurgias de catarata no Amazonas

Ministério da Saúde vai repassar R$ 6 milhões para os procedimentos no Amazonas, evitando a perda da visão de pacientes 05/09/2012 às 09:41
Show 1
Dentre os R$ 15 milhões destinados pelo MS ao Amazonas, R$ 6 milhões serão empregados em cirurgias de catarata
CAROLINA SILVA Manaus

O Ministério da Saúde estabeleceu a distribuição de R$ 15 milhões para cirurgias de média e alta complexidade em 61 municípios do interior do Estado do Amazonas. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, desse total, R$ 6 milhões serão destinados para cirurgias de catarata.

A liberação do recurso, que será transferido para o Fundo Estadual de Saúde do Amazonas, foi publicada na segunda-feira (3) no Diário Oficial da União (DOU).

Alecrim explica que a estratégia é para que pacientes com catarata façam a cirurgia precocemente, reduzindo as chances de perda de visão.

“À medida que a cirurgia é realizada ainda no estágio inicial da catarata, a pessoa consegue recuperar a visão. Então, o objetivo é que as pessoas façam a cirurgia o quanto antes”, disse o secretário.

Para o Ministério da Saúde, o objetivo é, também, reduzir o número de pacientes na fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS) por cirurgias de catarata. “Por conta da demora para realizar a cirurgia, o paciente perde  até 80% da visão”, completou Wilson Alecrim.

Segundo o MS, no Brasil, em média, são realizadas 360 mil cirurgias de catarata por ano. Não há como evitar a doença, que surge diante do envelhecimento natural do cristalino ou por problemas de diabetes, traumatismos, doenças oculares ou sistêmicas.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), na faixa etária entre 50 e 60 anos, 17% da população mundial será acometida pela catarata, já na faixa etária dos 60 aos 75 anos, este índice cresce para 47%. O desafio da medicina é buscar meios para retardar ou minimizar os efeitos da doença.

Interior
O secretário estadual de Saúde afirma, ainda, que no interior do Amazonas o número de novos casos de catarata tem reduzido significativamente, mas que ainda há muitos pacientes com falência ocular que nunca passaram por uma cirurgia. “A realidade do interior é a dificuldade de acesso ao oftalmologista. Os ribeirinhos, por exemplo, ainda não têm uma oferta de consultas constante. Sempre há um número significativo de pessoas que precisam de cirurgias de catarata por causa da demanda reprimida”, explicou.

Oftalmologia no interior do Estado
O Governo do Amazonas está criando um programa para garantir 36 mil consultas oftalmológicas à população do interior do Estado até 2013, segundo o secretário Wilson Alecrim. “Em novembro será dado início às consultas. Nós incluímos os estudantes porque parte dos alunos com baixo rendimento têm problemas de visão. E os idosos porque é a partir da terceira idade que começa a aparecer a catarata”, explicou.

Sintomas e tratamento
O envelhecimento natural das células do cristalino é a causa mais comum da catarata;

Num olho com catarata, o cristalino se torna opaco. A luz não pode passar através dele, tornando a visão borrada;

No início da lesão, a pessoa vê como se estivesse com a lente dos óculos embaçada ou com uma névoa diante dos olhos. Com a evolução do quadro, passa a enxergar apenas vultos;

O diagnóstico de catarata é feito pelo oftalmologista. Por meio de um exame minucioso, ele verifica se o cristalino possui alguma lesão (aparência de véu esbranquiçado);

O único tratamento para catarata é a cirurgia. O objetivo da cirurgia - simples, rápida e feita sob anestesia local – é substituir o cristalino danificado por uma lente artificial que recuperará a função perdida;

O maior grupo de risco para contrair a  catarata são pessoas com mais de 55 anos de idade.

O valor total de recursos liberado pelo Ministério da Saúde aos Estados para a realização de cirurgias de média e alta complexidade é de R$ 650 mi. O investimento representa um crescimento de 86% se comparado com o valor destinado em 2011, que foi de R$ 350 milhões em todo o País. Do total de recursos, R$ 230 milhões são destinados para as cirurgias de catarata.