Publicidade
Cotidiano
Notícias

Ministério Público Estadual pode investigar 'afogamentos em série' na Ponta Negra

Cópias de matérias jornalísticas sobre os afogamentos no balneários da Ponta Negra foram enviados à promotorias para análise e aplicabilidade de pedido de investigação dos incidentes 11/09/2012 às 12:52
Show 1
Com banhistas e bebidas demais e segurança de menos nova Ponta Negra já acumula 11 mortes e agora pode ter horário de funcionamento até 18h
Eloisa Vasconcelos Manaus

O Ministério Público Estadual (MPE) avalia a possibilidade de abrir investigação para apurar as causas dos afogamentos em série ocorridos na praia da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus.

De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, cópias de matérias jornalísticas que tratam do tema já foram enviadas ao Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Patrimônio Público, Direitos Constitucionais do Cidadão e Consumidor, que pode decidir pela abertura da investigação.

Ao menos 11 mortes foram registradas pelo Centro de Operações de Segurança (Ciops) desde a abertura da praia, em junho deste ano. A mais recente ocorreu no último domingo (9) e teve como vítima James Veras da Costa, de 17 anos.

Segundo a assessoria de imprensa do MPE, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Patrimônio Público, Direitos Constitucionais do Cidadão e Consumidor "tem a função, dentre outras responsabilidades, de receber pedidos de investigação, como, por exemplo, representações protocoladas por pessoas físicas na sede do MP-AM ou mesmo matérias jornalísticas que relatam fatos no Amazonas, e, a partir desse recebimento, distribuir tais pedidos de investigação para Promotorias de Justiça competentes para investigar, dentro das diversas especialidades".

"A partir de agora, o CAO-PDC vai analisar a aplicabilidade de investigação e decidir se distribui um pedido de investigação para uma Promotoria de Justiça especializada, que, quando receber tal pedido, terá a legimidade para, por meio do Promotor de Justiça titular, verificar se aceita esse pedido e se vai iniciar uma investigação sobre o caso. O CAO-PDC já recebeu as matérias jornalísticas e está analisando a aplicabilidade de pedido de investigação", informou a assessoria do MP.

Até esta terça-feira (11), nenhuma representação de pessoas físicas foi protocolada junto ao MPE. Mediante à polêmica dos incidentes fatais que vêm ocorrendo no balneário público, a vereadora Cida Gurgel (PRP) prometeu solicitar ao Ministério Público estadual (MPE)  a interdição da praia da Ponta Negra.