Publicidade
Cotidiano
Notícias

Ministro do Esporte assina termo de cooperação para Copa em Manaus

Como signatários, assinaram o termo de cooperação técnica o ministro Aldo Rebelo e o presidente da FNE, Murilo Pinheiro. O Governo do Amazonas chancelou o acordo como testemunha, através da secretária de Esportes, Alessandra Campelo 30/03/2012 às 17:20
Show 1
Assinaram o termo de cooperação técnica o ministro Aldo Rebelo e o presidente da FNE, Murilo Pinheiro
acritica.com Manaus

O Governo do Amazonas participou, nesta sexta-feria (30), da assinatura do Termo de Cooperação Técnica entre a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e o Ministério do Esporte. O documento, que oficializa a interação entre a entidade e o Governo Federal para o acompanhamento das obras da Copa de 2014 no Brasil, foi assinado na abertura do seminário “O Mundial e o desenvolvimento”, realizado no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam).

Como signatários, assinaram o termo de cooperação técnica o ministro Aldo Rebelo e o presidente da FNE, Murilo Pinheiro. O Governo do Amazonas chancelou o acordo como testemunha, através da secretária de Esportes, Alessandra Campelo. Para o coordenador da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa), Miguel Capobiango Neto, a parceria entre as entidades de classe e os governos federal e estadual reafirma o compromisso do Brasil em realizar um evento responsável e que vai proporcionar um legado após a Copa. “Os órgãos já estão atuando conjuntamente e nós estamos sempre dispostos a colaborar no que for necessário”, declarou.

O ministro Aldo Rebelo afirmou que a Copa do Mundo já é uma realidade para o povo brasileiro porque a preparação do país para receber o evento está movimentando vários setores da economia. “A Copa já se tornou realidade para os operários que trabalham na construção dos estádios e aeroportos, para o próprio setor da engenharia e também para as empresas de comunicação que já estão firmando parcerias para a transmissão dos jogos”, afirmou.

Para o ministro, todo o legado que virá com a realização da Copa no país permanecerá após o torneio. “Nada disso vai embora com os estrangeiros. A única coisa que eles podem levar daqui é a taça, mas até isso a gente vai brigar para ficar por aqui”, disse.

O presidente da FNE reafirmou que os órgãos que representam os engenheiros no Amazonas, como o Crea e o sindicato da classe já interagem com o Governo Estadual nas discussões sobre as obras da Copa em Manaus. “Estamos acompanhando em parceria. O termo é somente a oficialização de uma integração que, na prática, está acontecendo”, ressaltou Pinheiro.

Evento

O seminário “O Mundial e o desenvolvimento” faz parte do Movimento Permanente dos Engenheiros pelo desenvolvimento Nacional. Durante todo o dia de hoje (30), foram discutidos alguns dos principais eixos estruturantes para a realização da Copa no Brasil, como internet, mobilidade urbana, além do legado deixado o país após o evento.

Com informações da assessoria.