Publicidade
Cotidiano
Veículos Chrysler, Chrysler 300C, sedã

Modelo 300C da Chrysler pronto para novos tempos

O trunfo é o custo-benefício: nenhum três volumes ofererece tanto por isso no Brasil 19/05/2012 às 13:31
Show 1
Modelo 300C volta mais moderno, mas conserva linhas clássicas
Rafaela Borges - Agência Estado São Paulo

Imenso, de linhas suntuosas que remetem à ostentação, mas que mantém certo conservadorismo. Assim é o canadense Chrysler 300C, típico norte-americano tentando se enquadrar aos novos tempos. As linhas quadradonas da geração anterior permaneceram, mas há elementos "moderninhos", como os faróis com LEDs de uso diurno. Tabelado a R$ 179.900, ele voltou ao Brasil após dois anos e tem como principal arma o custo-benefício. Nenhum três-volumes oferece tanto por isso no País.

A versão disponível aqui vem com o bom motor Pentastar 3.6 de 286 cv. Pode parecer pouco para um carrão de mais de cinco metros de comprimento, mas o câmbio automático de oito marchas faz um belo papel na função de auxiliar o V6. Sem "buracos" nem trancos e com respostas muito rápidas, a transmissão ajuda a dar ao 300C arranque forte quando a pressão no pedal do acelerador aumenta.

Apesar da troca de comando no Grupo Chrysler - passou das mãos da Daimler para as da Fiat -, o 300C manteve o seu porcentual alemão. São do Mercedes-Benz Classe E a plataforma e vários componentes, tais como os botões de acionamento dos vidros e o sistema de ajustes elétricos dos bancos. Há duas posições de memória, inclusive para seleção de estações de rádio.

A estabilidade ganhou características um tanto distintas das do "irmão" Classe E. O gosto dos norte-americanos pode até estar mudando, mas eles ainda preferem as "banheiras" com rodar bem macio a sedãs com toques de esportividade. O 300C fica no meio termo.

O carro é macio sim, mas passa segurança ao motorista - sua direção é direta. A carroceria balança um pouquinho além do que seria ideal, mas não chega a causar grande incômodo. Combinado ao peso um tanto exagerado, tira um pouco da diversão ao guiar em curvas - mesmo com a tração sendo na traseira.

O conforto é um destaque. Atrás há amplo espaço para ombros e pernas de duas pessoas. Um console central que pode ser rebatido cria área para o terceiro ocupante. Os dois porta-copos na parte traseira têm sistema de aquecimento e resfriamento para bebidas.

Seis air bags, freios ABS, controle de estabilidade e navegador GPS são de série. Couro e madeira predominam na cabine.

Meio alemão
O comando da Chrysler agora é Fiat, mas o 300C manteve o seu porcentual alemão. São do Mercedes-Benz Classe E a plataforma e vários componentes, tais como os botões de acionamento dos vidros e os ajustes elétricos dos bancos.