Publicidade
Cotidiano
Notícias

Moradores do Cacau Pirêra (AM) estão preocupados com o descaso

O distrito foi esquecido pelas autoridades após abertura da ponte Rio Negro 30/03/2012 às 07:26
Show 1
Sem os “olhos” dos turistas que passavam pelo local na época das balsas, Cacau Pirêra virou uma vila sem qualquer infra-estrutura para os moradores
Carolina Silva Manaus

Moradores da vila de Cacau Pirêra, no município de Iranduba, que esperavam o progresso após a inauguração da ponte Rio Negro, estão preocupados com o descaso do Poder Público com a infraestrutura do distrito. Lixo, barro, lama e buracos tomam conta das ruas dos bairros Nova Veneza, Cidade Nova e Cacau Pirêra, os três que formam a vila do outro lado do rio.

Na rua do Comércio, no bairro Nova Veneza, os donos de estabelecimentos reclamam dos prejuízos causados pela falta do serviço de asfaltamento.

“A gente precisa ficar o tempo todo limpando as mercadorias porque quando os carros, caminhões e ônibus passam por aqui levantam muita poeira e suja tudo. Só o asfalto resolve essa situação”, disse Vivaldo Oliveira.

Na última quarta-feira, o comerciante investiu R$ 450 na compra de um lavador a jato para jogar água em frente à sua loja e evitar a ‘invasão’ da poeira.

Também no bairro Nova Veneza, a rua 6 está quase intrafegável para os moradores. Um buraco de pelo menos dois metros de diâmetro, há cerca de dois meses, acumula água da chuva e, sem asfalto, os comunitários temem ficar com os pés atolados na lama.

É inevitável observar a grande quantidade de lixo doméstico espalhado pela ruas. De acordo com os moradores, o serviço de coleta há alguns dias não tem sido realizado em grande parte das ruas. “Eles passam só ali na rua principal e pronto”, reclama uma moradora que preferiu não ter o nome revelado. Em frente às casas, urubus encontram “pratos cheios” para se alimentarem.

Outro grave problema que os moradores da vila de Cacau Pirêra enfrentam é a falta de uma rede de tratamento de esgoto. Pelas ruas do bairro Cidade Nova, o mau cheiro é insuportável.

“Nessa época de chuva, essa água verde do esgoto escorre por toda a rua e não tem como esse fedor não incomodar”, reclama a dona de casa Vânia Santos, 45.

Pior que não ter acesso a uma rede de tratamento de esgoto, é não ter um serviço de saneamento básico adequado, afirmam os moradores. Expostas no chão das ruas, mangueiras de borracha estão espalhadas por toda a parte da vila de Cacau Pirêra. São elas que, ao invés de tubulações adequadas, fazem a distribuição de água nas casas.

Além disso, o único reservatório de água da vila não consegue atender a demanda de uso. “A prefeitura  anunciou que iria construir um novo reservatório, maior, mas até hoje ainda não vimos na prática. Enquanto isso, a gente tem que depender desse serviço precário de abastecimento”, reclamou o morador Virgílio Padeirinho, 77.

Feira livre
Os feirantes da Vila de Cacau Pirêra apontam situação de descaso com a estrutura da feira. Eles reclamam que há muito tempo o local não recebe obras de revitalização. Também informaram que no período de chuvas são prejudicados pelas goteiras.

“Esqueceram que 10 mil pessoas vivem aqui”

“Várias vezes nos reunimos com a prefeitura e  ouvimos promessas. Sempre dizem que vão tomar as providências, mas nada é feito. Os investimentos na urbanização de Cacau Pirêra têm sido zero. Está tudo abandonado. Parece até que não tem mais moradores aqui. O poder público esqueceu que tem mais de dez mil pessoas habitando a vila? Esperávamos que com a inauguração da ponte Rio Negro, Cacau Pirêra recebesse mais investimentos para a melhoria de sua infraestrutura. Mas como o movimento de pessoas diminuiu, parecem não se importarem mais. Todos estão sendo prejudicados: feirantes, comerciantes, moradores. Outros serviços, como policiamento, também estão em situação de descaso”.
Pres. Assoc. dos Moradores - Leonardo Lopes