Publicidade
Cotidiano
Notícias

Município de Itacoatiara (AM) pode ficar isolado por conta da cheia dos rios no Amazonas

Itacoatiara corre o risco de perder comunicação com Manaus devido à terreno que começa a ceder e compromete ponte 24/04/2012 às 07:12
Show 1
Festa com atrações nacionais em comemoração ao aniversário da cidade foi cancelada, por conta das ruas alagadas
Milton de Oliveira Manaus

A um dia de comemorar 138 anos, o Município de Itacoatiara (a 170 quilômetros da capital em linha reta) corre o risco de ficar isolado. Um terreno localizado na cabeceira da ponte da Poranga, situada no km 265 da rodovia AM-010, está cedendo devido ao aumento do volume das cheias e à forte correnteza do rio Amazonas. Para piorar a situação, uma chuva de duas horas, na manhã dessa segunda-feira (23), provocou mais inundações na cidade. A festa com atrações nacionais foi cancelada.

Moradores disseram que o problema da cabeceira da ponte é antigo. “Na cheia do ano passado aconteceu algo parecido, a prefeitura começou a aterrar, mas não resolveu nada”, disse a dona de casa Karla Viana. Ainda conforme eles, o local em que foi construída a ponte era uma área de charco e foi aterrada.

O prefeito Antônio Peixoto (PT) afirmou que “não há prefeitura no mundo que consiga atender a contento” à população. “Estamos trabalhando no limite para atender todas as demandas. Nenhuma família foi abrigada até o momento, porque elas preferiram ir a casas de familiares, mas temos locais de abrigo”. Ainda conforme Peixoto, uma equipe da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) fará, nesta terça (24), um levantamento no local da ponte da Poranga.

De acordo com a Comissão de Defesa Civil do Município de Itacoatiara, existem aproximadamente 15 pontos de alagação na cidade e aproximadamente 5 mil famílias afetadas. “Já foram construídas pontes, passarelas. Mas, desde a última sexta-feira, as águas estão subindo muito rápido”, disse o coordenador Joaquim Martins. Ele contou também que um possível isolamento do município, pressupõe um efeito negativo para outras cidades. “Itacoatiara é uma rota bastante utilizada para municípios do Baixo e Médio Amazonas, e de outros Estados, como Santarém e Macapá, porque você economiza tempo no transporte de pessoas e cargas. Então, os prejuízos seriam incalculáveis”, destacou.

Conforme o radialista Rui Costa, que reside no município, a população liga para os programas pedindo ajuda da prefeitura e não é atendida. “Não apenas o meu programa recebe reclamações, mas toda a rádio. A população reclama de buracos, da falta de água e iluminação pública, e da falta de pontes de madeiras nos bairros afetados”, contou.

De acordo com o prefeito Antônio Peixoto (PT), o feriado de Tiradentes, que caiu no sábado, 21, atrasou o fornecimento de madeiras para a construção de pontes no município, conforme reivindicação da população. “Eu contratei mais de 15 homens em regime de emergência para acelerar os trabalhos das pontes”, explicou.

Segundo o Porto de Itacoatiara, faltam apenas 0,65 centímetros para que o nível da água alcance a máxima de 2009, que foi de 15,02 metros. “Hoje (ontem), a cota do rio alcançou o nível de 14,37 metros. Em 2009, neste mesmo dia, foi de 14,36 metros”, destacou o controlador de carga do porto, Fernando Nelson.