Publicidade
Cotidiano
MAUS CAMINHOS

Não há chances de absolvição de Mouhamad Moustafa na Maus Caminhos, diz procurador

Mesmo o médico e empresário negando acusações, as declarações dele vão de encontro com as provas, conforme o procurador do MPF Alexandre Jabur 17/11/2017 às 15:12 - Atualizado em 17/11/2017 às 15:25
Show show mouhamad
Foto: Divulgação
Geizyara Brandão Manaus (AM)

Mesmo o médico e empresário Mouhamad Moustafa negando as acusações contra ele na Maus Caminhos, não há chance de absolvição por conta das provas apresentadas, informou o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Alexandre Jabur. Mouhamad é acusado de liderar uma quadrilha responsável por desviar mais de R$ 100 milhões de verbas públicas da Saúde no Amazonas.

“Na nossa visão, isso não altera a acusação inicialmente feita. Isso vai ser melhor abordado na última peça que vamos apresentar”, afirmou o procurador. Para ele, as declarações dadas pelo médico e empresário vão de encontro com as provas. O MPF defenderá que o depoimento de Moustafa não sustenta uma absolvição. “A decisão cabe à juíza”, declarou Jabur.

Conforme a advogada Simone Guerra, que faz a defesa de Mouhamed, o réu preferiu falar para se defender das alegações da enfermeira Jennifer Nayiara Yochabel, interrogada na última terça-feira (14). “Ela se vitimizou a todo instante em benefício de uma redução de pena de 2/3, em benefício de não ser presa, colocando a culpa toda nele. Então foi importante que o Mohamed esclarecesse”, afirmou Simone. Guerra também pontuou que a delação premiada de Jennifer Nayiara precisa ser provada. “Ela vai ter que provar tudo o que ela disse e ela não tem prova”, ressaltou.

Já a advogada de Yochabel, Tatiane Medina, defendeu que as provas para a delação foram devidamente homologadas. “O compromisso da Jennifer agora é com a Justiça”, destacou. Sobre a sabatina feita a Mouhamed pelo advogado Geziel Santos, que faz a defesa de Gilmar Cordeiro no processo, a advogada Tatiane Medina revelou que ela foi feita para entender se havia um conhecimento sobre as irregularidades dentro da empresa. “Consegui o que todos viram, ele mente de forma descarada”, enfatizou.

‘Jamais (paguei propina)’

Durante depoimento hoje, Mouhamad Moustafa também negou ter pagado qualquer tipo de propina a secretários ou autoridades. “Não, jamais (paguei propina). Nunca me pediram e eu nunca ofereci”, disse. Em relação às acusações de que as provas do esquema criminoso haviam sido destruídas, Moustafa enfatizou que a “história foi forjada” pela ré Jennifer Nayiara.

Próximas fases do processo

Moustafa foi o último réu do processo a ser interrogado pela Justiça Federal. Também foram interrogados Alessandro Viriato Pacheco, Jennifer Nayiara Yochabel e Priscila Marcolino Coutinho. Agora, começa a fase de requerimentos das defesas e da acusação do MPF, depois é a vez das alegações finais e, em seguida, para sentença.