Publicidade
Cotidiano
Denúncia

‘Não vou me intimidar’, diz Pauderney após denunciar agressão à Polícia Federal

O deputado federal e líder do DEM foi agredido fisicamente por um manifestante ao desembarcar no aeroporto de Manaus. Ele denunciou o caso à Polícia Federal. “A PF já requisitou os vídeos das câmeras do aeroporto e vai pra cima”, disse 13/05/2016 às 20:49 - Atualizado em 13/05/2016 às 20:57
Show 13092112 1006992619353827 8532952309731171580 n
(Foto: Divulgação)
Vinicius Leal Manaus

“Não vou me intimidar. Esse tipo de coisa não me intimida. Vou continuar cumprindo meus compromissos”, disse o deputado federal Pauderney Avelino, líder do DEM no Amazonas, sobre as agressões sofridas por ele na manhã desta sexta-feira (13) ao desembarcar no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

À tarde, o parlamentar foi à sede da Polícia Federal do Amazonas para fazer uma denúncia do caso. “Fiz uma denúncia criminal pra apurar o fato. A PF já requisitou os vídeos das câmeras do aeroporto e vai pra cima, pra poder apurar isso. Está entregue à polícia”, disse.

Imagens que circulam na internet mostram o momento em que o político é agredido: um dos manifestantes esfrega um cartaz no rosto do político. Ao todo, 15 pessoas esperavam Pauderney no saguão do aeroporto, segurando faixas com a palavra “golpista”. Eles chegaram a gritar palavras de baixo calão contra o deputado.

Até o momento, o agressor de Pauderney não foi identificado pela polícia. “Tem um (dos manifestantes) que eu sei que é sindicalista, que já vi. Era um dos que estavam me hostilizando. Quando ele viu que a coisa ficou muito ruim, (ele) acabou pedindo pra eu ter calma e pediu para os colegas terem calma”, disse Pauderney. Segundo o deputado, dos 15 manifestantes oito deles vieram junto com ele no avião, de Brasília.

Após a agressão física, Pauderney recebeu a proteção de funcionários do aeroporto até o seu carro, mas continuou sendo seguido pelos manifestantes. “Eles foram até meu carro. Os taxistas e funcionários que me escoltaram. Só que os populares começaram a em aplaudir, em apoio a mim”, lembrou o político.

Sobre a possibilidade de cancelar ou alterar compromissos em Manaus por conta dos atos de manifestantes, o deputado federal afirma que não vai se intimidar. “Vim para cuidar de questões políticas e pessoais. Não vão me intimidar. Esse tipo de coisa não me intimida. Vou continuar cumprindo meus compromissos”, disse.

Polícia Federal

O superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Marcelo Rezende, confirmou a ida do deputado Pauderney à sede da PF para denunciar o caso. “Ele foi lá relatar uma agressão e vamos investigar. Ele trouxe as informações e a partir de agora vamos investigar”, resumiu Rezende.

Impeachment

As agressões ao deputado foram motivadas pelo posicionamento do parlamentar durante a votação pela admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. Pauderney votou pelo “sim”, pelo prosseguimento do impedimento da então presidente da República.