Publicidade
Cotidiano
Notícias

Níveis dos rios Solimões e Javari, no Amazonas, estão acima da média para o período

Boletim do CPRM informa que a bacia do Solimões está elevada para esta época, embora o período de águas altas aconteça de março a julho 18/01/2012 às 15:48
Show 1
Rio Solimões está elevado para a época
acritica.com Manaus

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou boletim nesta quarta-feira (18) no qual atesta elevação acima da média para algumas calhas de rios do Estado do Amazonas.

É o caso da Bacia do rio Javari, cujo nível de água está bastante elevado para esta época do ano. Na mesma situação se encontra a bacia do rio Purus.

Também chama anteção a condição da Bacia do rio Solimões, onde os níveis estão elevados para esta época, embora o período de águas altas aconteça de março a julho de acordo com a série histórica.

A bacia do rio Negro, em Manaus, apesar de influenciada pelo rio Solimões, encontra-se normal para o período. A mesma situação está as bacias do rio Amazonas e do Madeira.

 O rio Japurá está em nível em processo de vazante. Não foi feita atualização no rio Juruá.

Chuvas

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), muitas cidades do interior do Amazonas registrou em janeiro volume de chuvas acima da média para o mês. Na capital, o volume também está elevado. Até nesta quarta-feira (18) choveu 262 milímetros. A média para o mês é de 264.2 milímetros.

Há municípios, porém, onde o volume ultrapassou a média. É o caso de Fonte Boa, onde a média de janeiro é de 235.9 milímetros. No entanto, até nesta quarta-feira já choveu 372.4 milímetros.

Em Tefé, a média é de 272.8 milímetros. No entanto, já choveu até nesta quarta 286.4 milímetros. Em Coari, a média de 213.5 milímetros foi ultrapassada. Até nesta quarta-feira, já choveu 352.9 milímetros.

Municípios como Eirunepé e Parintins também registram chuvas com volume elevado.

Acumulados

O boletim informa ainda que a  distribuição  de  chuva  apresentou  acumulados  acima  de  150  milímetros na área central e noroeste do Amazonas, no extremo leste do Acre, extremo norte e sudeste do Mato Grosso, no sudoeste do Pará e no centro de Tocantins.

Esse ligeiro alinhamento de chuvas significativas pode ser explicado pela presença da Zona de Convergência do Atlântico Sul  formando a um corredor de nebulosidade do sul da Amazônia até o Sudeste do Brasil.

Acumulados acima de 250 milímetros foram observados  no oeste  central  do Amazonas,  situação  esta  que  se  aproximou  do volume máximo considerado normal para o mês de janeiro nos primeiros 10 dias.