Publicidade
Cotidiano
Notícias

No Brasil, Embaixada dos Estados Unidos e consulados reforçam segurança após ataques no Oriente Médio

Os ataques às embaixadas e aos consulados dos Estados Unidos eclodiram há dois dias desde que veio à tona um filme interpretado pelos muçulmanos como desrespeitoso ao profeta Maomé e ao Islamismo. Há uma onda de indignação que atingiu a Líbia, o Egito, o Iêmen e o Irã 13/09/2012 às 09:28
Show 1
A medida foi definida ontem (12) após a confirmação da morte do embaixador norte-americano na Líbia, Christopher Stevens, e de mais três funcionários, depois do ataque ao consulado em Benghazi
--- Brasília

Os prédios da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília e dos consulados norte-americanos em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Recife reforçaram os esquemas de segurança, seguindo as orientações do presidente Barack Obama. A medida foi definida ontem (12) após a confirmação da morte do embaixador norte-americano na Líbia, Christopher Stevens, e de mais três funcionários, depois do ataque ao consulado em Benghazi.

De acordo com assessores da embaixada norte-americana em Brasília, não há registros de ameaças às representações diplomáticas dos Estados Unidos no Brasil. Porém, por cautela, o esquema de segurança foi reforçado. Segundo assessores, as atividades da embaixada e dos consulados não sofreram alterações e estão mantidos a emissão de vistos, o agendamento de entrevistas e demais consultas.

Os ataques às embaixadas e aos consulados dos Estados Unidos eclodiram há dois dias desde que veio à tona um filme interpretado pelos muçulmanos como desrespeitoso ao profeta Maomé e ao Islamismo. Há uma onda de indignação que atingiu a Líbia, o Egito, o Iêmen e o Irã.

O filme, que também foi colocado na internet, de acordo com investigações preliminares, foi produzido por um californiano, de 52 anos, chamado Sam Bacile, e promovido por um expatriado egípcio copta que prega o cristianismo. Os dois são descritos como indivíduos com posturas críticas ao Islã. Um trailer do filme foi postado no YouTube e traduzido para o árabe.

A onda de ataques levou os Estados Unidos a enviar fuzileiros navais para a Líbia. Agentes do FBI, o serviço de inteligência norte-americano, viajaram para vários países do Oriente Médio em busca de informações sobre os líderes dos movimentos.