Publicidade
Cotidiano
MERCADO AUTOMOBILÍSTICO

Novo Etios 2017 chega às lojas no próximo dia 28, custando entre R$ 43,9 mil e R$ 60,2 mil

Montadora aposta na boa reputação da marca para conquistar o mercado no País, que enfrenta crise econômica 23/04/2016 às 05:45 - Atualizado em 23/04/2016 às 08:59
Lúcio Pinheiro* Mogi das Cruzes (SP)

Às voltas com o mercado brasileiro desaquecido, a Toyota do Brasil aposta suas fichas na adoção de transmissão automática na linha Etios 2017 para tentar emplacar de vez o modelo ainda visto com certa desconfiança pelos brasileiros, situação que incomoda os executivos da montadora e bem diferente da experimentada por outros modelos da marca, que lideram de braçada as vendas no mercado nacional.

É justamente a confiança que os japoneses conquistaram no País em outros segmentos que dá à Toyota a esperança de que, aos poucos, o Etios vai cair nas graças dos brasileiros, defendeu o presidente executivo da montadora no Brasil, Miguel Fonseca, durante o lançamento da linha 2017 do veículo, no dia 19, em Mogi das Cruzes – São Paulo.

“Tivemos um começo difícil (com o modelo), mas ouvimos vocês (imprensa), os consumidores, e agora o Etios é um carro completo”, afirmou Miguel em sua apresentação. A transmissão automática foi levada ao posto de chamariz da nova versão do carro, mas não é a única novidade.

Com vendas programadas para iniciar a partir do dia 28 deste mês, a linha que chega ao mercado brasileiro trás também a família de motores 1.3 e 1.5 litro Dual VTT-i e transmissão manual de seis velocidades (a anterior tinha cinco). Em estrada, a opção de mais uma marcha até que agrada. Já no trânsito pesado das grandes cidades, a mudança faz pouco sentido.

Outra novidade que pode agradar muito o consumidor está no painel de instrumentos do modelo. O anterior, analógico, era criticado pela aparência e comparado pelos mais maldosos com uma balança, por causa dos enormes ponteiros. A versão 2017 vem totalmente digital com um visor de 4.2 polegadas.

O que não mudou no painel foi sua posição. Continua no centro do carro, o que causa estranheza nos motoristas acostumados com o painel de instrumentos na direção do volante. Mas para quem já tem um Etios na garagem, a discussão sobre essa característica do modelo está superada.

Testamos

No teste feito pela reportagem no Etios hatchback X 1.3L 16V manual, uma característica que chamou atenção foi a ausência de ruído do motor para o interior do carro. Segundo a Toyota, essa foi uma preocupação na lista de aprimoramentos do veículo. Aprovada. Já na versão sedã XLS 1.5L 16V automático, esse ponto ainda pode melhorar.

‘Sossego’

Nada modesta, a meta da Toyota é vender 68 mil unidades do Etios no Brasil. Para impulsionar as vendas da linha 2017, a montadora ajusta os detalhes finais da campanha publicitária que tem como slogan “Quem quer sossego, tem um Etios”. Uma menção à qualidade, durabilidade e confiabilidade atribuídas aos veículos produzidos pela gigante japonesa.

Custo do sossego

Como os veículos das demais montadoras no País, o modelo japonês vai fazer os clientes irem fundo no bolso. Mas nada que fuja da média cobrada pelas marcas concorrentes.

A versão 2017 do Etios hatchback X 1.3L 16V manual, por exemplo, que será vendida por R$ 43,9 mil, está R$ 2 mil mais cara que anterior. Para dirigir a versão mais completa de um modelo hatch (Cross 1.5L 16V automático) será preciso desembolsar R$ 60,8 mil.

Entre os modelos sedã, a versão mais barata será vendida por R$ 48,4 mil (X 1.5L 16V manual), e a mais cara por R$ 60,2 mil (XLS 1.5L 16V automático).

O novinho

O Etios é relativamente um carro novo em solo brasileiro. A primeira versão foi lançada por aqui em 2012. É inegável que o modelo carrega consigo o DNA da Toyota (qualidade, durabilidade, confiabilidade, etc.). Mas deixa a desejar no acabamento e na aparência. Os aprimoramentos que a montadora vem fazendo nos últimos anos tenta superar esses obstáculos, afinal, o mercado está disputadíssimo e a fase no País não deixa ninguém sossegado.

Dá pra confiar

Steve St. Angelo, CEO da Toyota para América Latina e Caribe e Chairman da Toyota do Brasil, diz que pode não parecer para quem está no País, mas a visão externa é a de que a economia brasileira ainda é muito forte. É isso que em parte tem motivado a montadora a manter seu foco e se preparar para quando a turbulência econômica passar, garante o CEO. “O Brasil tem fundamentos econômicos muito sólidos”, atesta.

Outro alento para a fabricante de veículos, segundo Steve, é que o mercado de automóveis no Brasil ainda tem muito a crescer. “Enquanto nos Estados Unidos a média é de oito veículos para cada dez pessoas, no Brasil, a média é de 1,9 veículos para cada dez pessoas”, disse o CEO. “Nossa economia irá se recuperar e a Toyota vai fazer parte disso”, finalizou o executivo, durante a apresentação da linha Etios.

Fábrica aquecida

O presidente da Toyota do Brasil, Koji Kondo, também se mostra otimista com o Brasil e com os números da montadora. Segundo o executivo, 2015 foi um ano de quebra de recordes na produção, com 166 mil unidades produzidas.

Para koji, o ritmo mantido pela Toyota prepara a montadora para quando o mercado melhorar. “A Toyota acredita no Brasil e estamos prontos para quando o mercado se recuperar”, afirmou o presidente à imprensa brasileira.

Em um mercado que caiu quase 30%, a Toyota viu sua participação no setor sair de 3% em 2013 para 7% em 2016.

*O repórter viajou a convite da Toyota do Brasil