Publicidade
Cotidiano
Notícias

Novo método para diagnosticar a Tuberculose é adotado por Ministério da Saúde

Resultados da pesquisa desenvolvida em Manaus e no Rio de Janeiro sobre a doença, podem ser a garantia de uma saúde melhor para os brasileiros 10/12/2012 às 09:42
Show 1
A cada ano são registrados mais de 71 mil novos casos de tuberculose
acritica.com ---

A Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro marcaram um encontro nesta segunda-feira (10), no auditório de Dermatologia da FMT-HVD, localizado na avenida Pedro Teixeira, nº 25, Dom Pedro, para anunciar os resultados da pesquisa desenvolvida em Manaus e na capital carioca para testar o novo método de diagnóstico da Tuberculose, que permite chegar ao resultado em até 2 horas. A apresentação reúne profissionais de saúde que atuam na prevenção e no tratamento da doença

Segundo a diretora presidente da FMT-HVD, Graça Alecrim, os detalhes da implantação do novo método, nos municípios brasileiros serão anunciados e explicados durante o evento. Ainda segundo a diretora, o objetivo da proposta é a substituição total do método tradicional, a baciloscopia, que permite chegar ao resultado em 24h pelo novo exame chamado GeneXpert, que reduz o tempo de espera em 22 horas.

O novo método já recebeu o aval da Organização Mundial de Saúde (OMS). Graça Alecrim, observa, no entanto, que para implementá-lo no SUS, o Comitê de Incorporação de Tecnologia (Citec), do MS, exige dados nacionais que demonstrem o impacto significativo do método na saúde pública, a um custo acessível e justificável. Manaus e Rio de Janeiro foram as cidades escolhidas pelo Ministério, para a realização deste estudo.

No Amazonas, a pesquisa teve início em março e foi concluída em outubro. Neste período, foram feitos cerca de 15 mil exames e instalados em três unidades de saúde: na FMT-HVD e na Policlínica Cardoso Fontes, da rede estadual de saúde, e no Laboratório Distrital Leste (LDL), da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). No Rio de Janeiro, foram instalados 19 equipamentos.

O coordenador do estudo em Manaus, o pesquisador da FMT-HVD Marcelo Cordeiro, explica que o GeneXpert reúne outras vantagens: além de verificar a presença do bacilo Mycobacterium tuberculosis, o teste também detecta se o paciente é resistente à rifampicina (um dos antibióticos mais eficazes, do esquema de tratamento da doença).

Atualmente, para testar a suscetibilidade do paciente aos antimicrobianos que tratam a tuberculose, utiliza-se o exame de cultura, cujo resultado leva de quatro a oito semanas para ficar disponível.  

Durante os estudos, pacientes com suspeita clínica de tuberculose pulmonar foram submetidos ao exame de escarro (amostra de secreção pulmonar) realizado, primeiramente, pelo GeneXpert. Nos casos de resultado positivo, também foi feita a baciloscopia – para fins de notificação ao Programa Nacional de Controle da Tuberculose e à OMS, e recomendado o início do tratamento.

O objetivo é identificar os resultados discordantes, ou seja, aquelas amostras que foram positivas no GeneXpert, mas negativas na baciloscopia. Isso permitiu dimensionar o número de casos de tuberculose ativa que foi detectado pelo novo método, mas que não teria sido diagnosticado pelo exame tradicional.