Publicidade
Cotidiano
Notícias

Núcleo de apoio à pesquisas da UEA conta com R$ 7 mi para desenvolvimento de projetos

Em seis meses, o Núcleo de Apoio a Projetos e Pesquisas da Escola Superior de Ciências da Saúde da UEA já conseguiu financiamentos para 12 projetos 03/08/2012 às 08:15
Show 1
O Núcleo de Apoio a Projetos e Pesquisas funciona na ESA/UEA, na Cachoeirinha
jornal a crítica Manaus

Criado há seis meses, o Núcleo de Apoio a Projetos e Pesquisas (Nuapp) da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA), da Universidade de Estado do Amazonas (UEA), tem a missão de arrecadar recursos financeiros na área de pesquisa e projetos de extensão universitária. Hoje, com 12 projetos aprovados e em andamento, o Nuapp contabiliza pouco mais de R$ 7 milhões destinados ao desenvolvimento científico, tecnológico e estrutural da unidade.

O Nuapp é formado por duas professoras voluntárias de Odontologia e Genética. Segundo o diretor da ESA, professor Cleinaldo Costa, o núcleo surgiu da necessidade de captar recursos para implementar as ações junto à comunidade acadêmica. “As melhorias são refletidas na formação de professores e dos alunos, que são capacitados”, salienta.

Segundo ele, grande parte dos recursos captados é destinada para projetos de pesquisa. “Isso significa que nós teremos um enorme impacto nos próximos anos, do ponto de vista da produção científica”, explica Cleinaldo, ao enfatizar que essa é a base de um programa que vai colocar a UEA no cenário nacional e internacional, de produção de pesquisa.

“A nossa intenção é que os nossos futuros profissionais sejam preparados para atuar na assistência, mas, sobretudo, na pesquisa com uma visão cientifica apurada”, informa Cleinaldo. Para ele, à medida que se aprimora o ensino, quem ganha é a população, que receberá o atendimento com padrão de qualidade desses trabalhadores da saúde.

Mestrado e doutorado
A coordenadora do NUAPP, professora Antônia Queiroz, informou que a ESA já coordena o mestrado de Biotecnologia e o doutorado da rede nacional de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal (Bionorte), visando proporcionar aos acadêmicos essa contínua capacitação. “Recentemente estamos com a proposta de mestrado e doutorado em Bioquímica e Biologia Molecular com as três maiores universidades do País na área. Isso possibilitará aos nossos alunos formados voltar para a universidade para produzir ciência e, assim, desenvolver o nosso Estado”, salienta.

As fontes principais financiadoras para os projetos são: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Ministério da Saúde, Fundação  de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e  Ministério da Educação  (MEC). 

Novos projetos em avaliação
Só os projetos com chance de serem aprovados somam mais de R$ 1,7 milhão, segundo a coordenadora do Nuapp, Antônia Queiroz. O núcleo ainda espera os resultados, que serão divulgados em agosto.

“O mais esperado é o edital do Finep, voltado para infraestrutura (R$ 1,5 milhão), que será disponibilizado para  construção de uma plataforma virtual para integrar a pós-graduação em redes de comunicação inteligente  e na construção do Centro de Experimentação e Uso de Animais (CEUA)”, destaca.

O CEUA está sendo concebido para ser modelo no Estado e integrará o grupo de seis centros de pesquisa já existentes, disse Antônia. “Isso contemplará um biotério (onde se cria animais), usado na Cirurgia, Genética, Farmacologia, Fisiologia, Bioquímica, Patologia, Enfermagem e Odontologia”.

Parcerias
Cada projeto aprovado tem a sua periodicidade para ser aplicado entre dez meses até três anos e as parcerias são firmadas com a Universidade do Estado do Amazonas ou diretamente com o professor pesquisador da ESA.