Publicidade
Cotidiano
Notícias

Omar determina envio de socorro a Boa Vista do Ramos (AM)

A decisão foi tomada em caráter de urgência, após Omar receber em audiência, esta semana, o prefeito em exercício, vereador Marlon Trindade (PT), e uma comissão de vereadores da Câmara Municipal, informou ontem o secretário de Governo, George Tasso 05/04/2012 às 18:57
Show 1
O prefeito Omar se reuniu com membros das secretarias para tratar de assuntos relacionados a Boa Vista do Ramos
Jonas Santos Boa Vista do Ramos

O governador Omar Aziz determinou o envio de um grupo das secretarias de Governo do Estado para socorrer a cidade de Boa Vista do Ramos (a 270 quilômetros de Manaus), que encontra-se em situação de emergência em vários setores da administração.

A decisão foi tomada em caráter de urgência, após Omar receber em audiência, esta semana, o prefeito em exercício, vereador Marlon Trindade (PT), e uma comissão de vereadores da Câmara Municipal, informou ontem o secretário de Governo, George Tasso. A Prefeitura está inadimplente com os Governos do Estado e Federal e o município está impedido de assinar convênios para receber recursos.

Marlon Trindade apresentou um relatório geral de como se encontra Boa Vista do Ramos, 90 dias após a cassação do prefeito Elmir Lima Mota (PSD), o Freedon. Neste documento, o prefeito em exercício relata que BVR ficou sem médicos por dois anos, que a Prefeitura não dispõe de máquinas para o serviço de coleta de lixo na cidade, que as escolas estão sem equipamentos para funcionar e que os servidores lotados na área da educação ficaram três meses sem receber salários. Somente no setor de Educação a dívida seria de R$ 300 mil. De acordo com Trindade somando-se as despesas de todas as secretarias a dívida do município hoje chega a R$ 3 milhões.

“Além disso, enfrentamos mensalmente bloqueios judiciais e trabalhistas e por esta razão decretamos situação de emergência no município”, disse Marlon.  O titular e o vice Glauciomar Pimentel (PSC) foram afastados em 20 de dezembro de 2011 e perderam os cargos, no dia 25 de fevereiro, acusados de improbidade administrativa. Marlon, então presidente da Câmara, assumiu o comando do executivo.

George Tasso informou que os secretários de Educação, Gedeão Amorim; de Infraestrutura, Valdivia Alencar; de Saúde, Wilson Alecrim, Assistência Social, Regina Fernandes;  Segurança, coronel Paulo Roberto Vital; Defesa Civil, coronel Roberto Rocha e a diretora-presidente do Cetam, Joésia Pacheco já  reuniram para traçar os detalhes da operação.

Uma comissão de técnicos de cada secretaria, coordenada pela secretaria Regina Fernandes se deslocará na segunda-feira de manhã a Boa Vista. “Iremos fazer um diagnóstico completo de toda a situação em que se encontra o município que hoje está impedido de assinar convênios por inadimplência. Até a quarta-feira entregaremos esse relatório ao governador para que ele decida o que fazer”, afirmou o secretário de Governo.

Educação
Além dos problemas municipais a equipe irá se deparar com uma única escola do Governo do Estado construída em Boa Vista do Ramos que está caindo aos pedaços. A escola estadual senador José Esteve tem somente duas salas de aula, não possui pátio, nem refeitório e porta de entrada do educandário já é sala dos alunos. É o aspecto de uma casa abandonada, sem pintura, velha e feia. A escola está localizada ao lado da praça São Sebastião e é vizinha a casa paroquial.

Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Boa Vista do Ramos ainda apura outro escândalo: de que aliados e amigos do prefeito Freedon não pagavam a conta de luz mensal a Amazonas Energia.

O presidente da Câmara Junior Andrade(PT), está de posse de documentos assinados pelo vice-prefeito Glauciomar Pimentel em que ele autorizava a concessionária de energia a descontar o pagamento de luz, do dinheiro arrecadado dos moradores referente à taxa de iluminação pública. Dentre os beneficiários estavam diretores de escolas, funcionários do alto escalão da Prefeitura, comerciantes e até vereador. Somente Glauciomar assinou mais de 200 ofícios a Amazonas Energia, antes da cassação dos mandatos.

Elmir Freedon enfrentou o protesto dos moradores e acusações de desvio de verba pública que resultaram no seu afastamento por quatro vezes pela Câmara de Boa Vista do Ramos. Mas ele conseguiu reverter duas decisões que foram suspensas pelos magistrados do Tribunal de Justiça do Amazonas. No último afastamento enfrentou uma Comissão Processante com denuncia de desvios de recursos federais da educação e saúde, e ainda vídeo em que aparece o ex-vereador Joaquim Teixeira recebendo dinheiro de Mota e colocando os valores na cueca. No episódio o ex-prefeito repassava R$ 35 mil a Teixeira, de um total de R$ 100 mil, para que o vereador renunciasse ao cargo.

Na ocasião Mota alegou ter sofrido extorsão do ex-vereador. Mas a oposição afirmou que o dinheiro seria para que Teixeira renunciasse ao cargo e o suplente Rivaldo Anselmo, aliado de Freedon, assumisse o lugar dele o que poderia na contagem dos votos dos vereadores da Câmara impedir a cassação dos mandatos dele e do vice Glauciomar Pimentel. Freedon ainda teve as contas de 2009 reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado(TCE).