Publicidade
Cotidiano
Notícias

Operação Táxi Seguro realiza 23 notificações

As notificações foram feitas aos motoristas que trafegavam sem a autorização da Superintendência de Transportes Urbanos SMTU, atraso de vistoria e táxi pirata 22/07/2012 às 21:32
Show 1
Delegado Arthur Lyra, coordenador do Grupo F.E.R.A., que planejou a operação, a proposta era fazer abordagens em três pontos diferentes da cidade, só no domingo.
acritica. com Manaus,

A operação Táxi Seguro, comandada pelo Grupo Fera, da Polícia Civil, realizou 19 notificações em decorrência da falta do chamado carteirão, que é a autorização da SMTU para o motorista auxiliar rodar com o táxi. Neste caso o motorista foi multado em R$ 1.406,00 (mil e quatrocentos e seis reais). Trê notificações por atraso na vistoria.

O condutor foi multado em R$560,00 (quinhentos e sessenta reais) e um carro foi recolhido ao parqueamento por realizar a atividade de táxi sem autorização, mais conhecido como táxi pirata. Além de ter o carro apreendido, o motorista foi multado em R$ 2.253,00 (dois mil, duzentos e cinquenta e três reais). Os números são com base nos dados ficalizados pela Superintendência de Transportes Urbanos (SMTU).

Grupo Fera

A ação foi realizada pelo Grupo Fera da Polícia Civil nas madrugadas de sábado e domingo, na zonas norte, leste e centro-oeste de Manaus  e contou com o apoio da Secretaria de Segurança Pública,Superintendência Municipal de Transportes Urbanos - SMTU e Sindicato dos Taxistas do Amazonas

Orientar e conscientizar

A operação foi realizada com objetivo de orientar e conscientizar taxistas e passageiros. Os taxistas receberam folderes sobre as condutas de segurança na rotina de trabalho. Durante a abordagem, o carro, o motorista e os passageiros eram submetidos a revista. A polícia também fez uso do PDA. O equipamento possibilita o acesso portátil e imediato a base de dados do Sistema Integrado de Segurança Pública – SISP, que verifica informações sobre veículos e pessoas.

Durante a madrugada de sábado, em uma das abordagens, os policiais encontraram uma faca escondida na roupa íntima de uma mulher. O nome e o número do Registro de Identidade da passageira foram submetidos ao SISP e como não foi encontrado restrição, ela foi liberada e a arma branca apreendida.

No dias de operação, 179 taxis foram abordados. No segundo dia a operação teve que ser suspensa devido a forte chuva que caiu na zona leste de Manaus, por volta das 2hs da madrugada. Segundo o Delegado Arthur Lyra, coordenador do Grupo F.E.R.A., que planejou a operação, a proposta era fazer abordagens em três pontos diferentes da cidade, só no domingo.

“Em conversa com os taxistas nos selecionamos os lugares em que há maior sensação de insegurança para esses profissionais. Nós abordamos todos os taxistas, sem exceção, e vamos continuar o trabalho nas próximas semanas,” destacou.

A cartilha de segurança elaborada pelo grupo contem 34 itens com informações importantes que orientam o taxista a observar os passageiros desde abordagem inicial. O Delegado Geral em exercício, Mário Aufiero, que determinou a realização desta operação, comemorou os resultados desta primeira ação. “Nos estamos satisfeitos, buscando diminuir a criminalidade e possibilitar aos profissionais taxistas a segurança que precisam no exercício do trabalho. O resultado desta operação deve ser superado nas próximas abordagens”, reforçou Aufiero.

Os taxistas que receberam as orientações parabenizaram o trabalho realizado pela polícia e solicitaram que as ações continuem. José Cláudio Rodrigues é taxista a 10 anos e destacou: “Eu quero que o meu carro seja parado em todas as barreiras e seja revistado. Caso tenha um passageiro armado ele será abordado pelos policiais”, destacou Rodrigues.

Os passageiros que também foram revistados, como o aposentado Alex Sebastião, apoiaram a iniciativa. “ Ninguém sabe quem é bandido e essa revista pode evitar que crimes aconteçam”, finalizou.

Com informações da assessoria de comunicação da Polícia Civil