Publicidade
Cotidiano
Notícias

Organização de eventos se mostra como forte tendência no mercado

Empresário carioca garante que a demanda e as chances de sucesso são grandes, principalmente com a proximidade de festas típicas 29/10/2012 às 08:24
Show 1
Festas personalizadas são as mais procuradas e agradam clientes
Jhonny Lima ---

Trabalhar e se divertir ao mesmo tempo é o que a maioria das pessoas gostariam de fazer. Aliar o útil ao agradável e, de quebra, ganhar um bom trocado é a profissão do organizador de eventos (ou promotor de eventos). Uma tendência crescente no mercado que garante ao autônomo a independência e a possibilidade de formalizar sua empresa. 

O carioca Sandro Devis Domiciano, 43, proprietário da empresa “Tio Sandro Festas e Eventos”, localizada no Vieiralves, garante que a demanda e as chances de sucesso só aumentam, principalmente com a proximidade de festas típicas, como as de fim de ano. “No Rio essa área já está muito ‘tarimbada’ e em Manaus tem muitas oportunidades”, contou.

Trabalho

Mas para quem pensa que organizar eventos é perder noite de sono, é não ter final de semana para o lazer e depois ainda ter que arrumar toda a bagunça, Sandro comenta que a satisfação vai bem mais além e o bolso agradece. “O lucro é satisfatório e dá pra lucrar de R$ 1 mil a R$ 2 mil por evento, isso tirando todos os gastos com comida, reposição de material que quebra e com a equipe”, frisou, ao acrescentar que sua equipe é formada por um DJ, cozinheira e três pessoas que o ajudam nas atividades braçais e de confecção. Por semana, às vezes, dá pra faturar até R$ 8 mil.

Curso

Para se tornar um promotor de eventos, a dica é fazer um curso profissionalizante, onde aprenderá todas as técnicas necessárias e de como usar a criatividade na elaboração de festas infantis, convenções, exposições, formaturas, etc.

Sandro explica que para promover uma festa infantil para aproximadamente 100 pessoas gasta em torno de R$ 10 mil, com direito ao salão de festas, bolo, doces, bebida, decoração, animação e muita diversão. O cliente entra com as mãos vazias e sai cheia de presentes. 

Maria Festeira

A organizadora de eventos Juliane Guerreiro Monteiro, 35, largou a profissão de advogada para de dedicar a promover festas infantis até 15 anos e é proprietária da empresa Maria Festeira, também no Vieiralves. Há três anos no novo ramo, ela está feliz com a nova empreitada. “É um mercado novo e tem muita gente que estão fazendo o curso. Dá trabalho, mas é prazeroso, além do retorno financeiro”, disse.

Especialista em festas personalizadas, a equipe de Juliane na Maria Festeira é formada por cinco pessoas. O serviço personalizado, com temas de desenhos animados ou seriados.  Um pacote básico para até 30 pessoas sai por R$ 950, com direito a balões, doces personalizados e decoração.  “É cansativo, mas o lucro é bom”, finalizou Juliane, que chega a fazer até 12 eventos por semana e lucra de 20% a 60% em cada evento.