Publicidade
Cotidiano
Notícias

Partido Verde instaura comissão de ética e pode expulsar deputado Platiny Soares

Partido aciona comissão de ética contra deputado estadual que propôs homenagem a parlamentar homofóbico e racista 03/12/2015 às 09:32
Show 1
Deputado Platiny Soares afirmou que a OAB tem mais o que fazer pela categoria do que ficar se preocupando com homenagem da ALE
Aristide Furtado ---

O Partido Verde (PV) instaurou um comissão de ética que pode levar à expulsão do deputado estadual Platiny Soares por conta da  homenagem ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ) proposta pelo parlamentar.

Em nota oficial, a legenda se manifestou contra a entrega da comenda ressaltando que  Bolsonaro tem atitudes e proposta antidemocráticas, racistas, golpistas e contrárias a defesa do meio ambiente. Posições, que segundo o partido,  são antagônicas a história e os princípios e fundamentos políticos da sigla.

Ontem, a presidente estadual do PV, Eliane Ferreira afirmou que o deputado será orientado a retirar a proposta. “Fomos surpreendidos com a matéria da homenagem.  Ele vai receber a notificação para se defender.  Mais de 30 de organizações  já se manifestaram contra a entrega dessa medalha. Esse processo na comissão de ética pode resulta até em expulsão do partido”, disse Eliane.

Marcada para o próximo dia 10, a homenagem a Bolsonaro, conhecido no cenário nacional por suas posições de intolerância racial, homofóbicas e de violência contra a mulher, causou polêmica entre os deputados estaduais, foi criticada na Câmara Municipal de Manaus (CMM) e tem sido repudiada por organizações de defesa dos direitos humanos e constitucionais.

A Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM) emitiu nota de repúdio à proposta de Platiny. Afirmou que a homenagem aprovada pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) afronta e desrespeita o trabalho dos movimentos sociais.  Ressaltou que o parlamentar é um conhecido defensor de torturadores da ditadura militar.

“Tal comenda deveria ser concedida apenas ao cidadão brasileiro que tenha se destacado por seus trabalhos de relevância pelo interesse da sociedade , qualidades estas não vislumbradas na pessoa homenageada por conta inclusive de suas incitações e posicionamentos homofóbicos e preconceituosos”, diz um trecho da nota da OAB/AM.

O representante do PV na  CMM,  vereador Everaldo Farias apresentou ontem moção de repúdio à proposta do colega de partido na ALE-AM. O vereador Waldemir José (PT) condenou  a entrega da honraria. “Não dá para aceitarmos situações como essa, de ser homenageado, no Dia dos Direitos Humanos, uma pessoa que pensa totalmente o contrário”, disse. O vereador Elias Emanuel disse que não defendia as declarações de Bolsonaro. E a homenagem faz parte do regime democrático.

Platiny afirmou que ainda não foi notificado pelo PV e que não violou o estatuto da sigla.

Blog: Platiny Soares, Deputado estadual pelo Partido Verde

“Quero dizer que a OAB  representa uma categoria importante e honrada que são os advogados ao qual eu  faço parte com muito orgulho, porém ela tem muito trabalho a fazer e não deveria estar opinando sobre esse tipo de assunto visto que  a comissão de direitos humanos deve  fazer um trabalho focado nos direitos constitucionais do cidadão de bem, buscando os vulneráveis da sociedade que de fato devem ser amparados (...) e a presidência em si buscar acabar com os coiotes que prejudicam o exercício da profissão da advocacia, o exercício ilegal da profissão, resguardar os direitos dos nossos advogados, reerguer essa instituição tão bela, valorizando nosso advogado, fazendo muito mais por nosso profissional advogado do que se importando com um dos homenageados da Assembleia”.

Comissão

A comissão de ética do PV terá 30 dias para concluir os trabalhos e apresentar relatório com sugestão de punição ou não. O colegiado é composto três membros da executiva estadual da sigla: Eliane Ferreira, Olavo Auzier e Aurélio Costa.