Publicidade
Cotidiano
Notícias

PDT nacional libera sigla no Amazonas para apoiar Artur do PSDB

Após sinal verde do diretório nacional, a Executiva Estadual do Partido Demotrático Trabalhista (PDT) declarou adesão à candidatura tucana de Artur Virgílio Neto após reunião realizada na quarta-feira (22) 23/08/2012 às 20:22
Show 1
Candidato Artur Neto ganha adesão do PDT
Antônio Paulo e Bruno Strahm Brasília/Manaus

O PDT do Amazonas foi liberado pela direção nacional do partido a apoiar o candidato a prefeito de Manaus, pelo PSDB, Artur Virgílio Neto. Ontem, o secretário geral, Manoel Dias, disse que o diretório estadual tem autonomia política suficiente para decidir sobre as alianças que fará nas eleições municipais deste ano tanto no Amazonas como nos demais Estados brasileiros.

“Tomamos conhecimento da decisão do PDT amazonense e não fazemos objeção porque essa prática de alianças municipais fica a critério de cada localidade. As coligações estão ligadas às decisões das lideranças locais e não ao discurso ideológico do partido”, declarou Manoel Dias.

Questionado sobre o fato de o PDT fazer parte da base aliada do Governo Dilma, em âmbito nacional, o secretário geral alega que esse acordo político não é estendido aos Estados e municípios e cita o próprio PT, partido da presidente da República, que está fazendo diversas alianças com partidos de oposição. Um desses casos ocorre no Amazonas. Em Maués, o candidato a prefeito, padre Carlos Góes, do PT, tem o apoio do DEM e PPS, partidos de oposição ao Governo Federal. No caso do PDT, Manoel Dias cita alianças com o PSDB em Niterói e Maceió.

Adesão ao PSDB

De acordo o presidente estadual da legenda no Amazonas, Stones Machado, foi encaminhada em uma reunião realizada na quarta-feira (22), a adesão do partido na campanha de Artur Virgílio Neto, do PSDB.

“Estiveram presentes a executiva estadual e municipal do PDT, assim como militantes e candidatos pelo partido, após discutirmos, resolvemos aderir à campanha de Artur Neto, por entender que seu programa de governo para a prefeitura tem muitos pontos em comum com a agenda de nosso patido”, comentou Machado.

Conforme o presidente estadual, a adesão não é formal, uma vez que, não houve oficialização desde o início da campanha. O PDT não faz parte da chapa do PSDB. “O PDT tem participado ativamente do processo político em cada eleição desde a redemocratização do Brasil. Como não temos um candidato oficial à prefeitura, resolvemos caminhar a partir de agora com Artur. Mas isto não significa uma proibição a algum candidato a vereador ou militante que queira declarar apoio a outro nome. Não haverá perseguição a estas pessoas por parte do partido”, finalizou Machado