Publicidade
Cotidiano
Notícias

Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia tem sua primeira aprovação

Na reunião, técnicos sugeriram revisão em algumas das metas como nas áreas da saúde e da agricultura, e ainda que o Plano seja rediscutido com os Estados, mesmo após a aprovação no Condel 10/04/2012 às 20:55
Show 1
A definição dos limites das áreas de proteção da Amazônia
acritica.com Manaus

Após reunião do Comitê Técnico do Conselho Deliberativo (Condel) da Sudam, que aconteceu na sede da Codevasf, em Brasília, foi aprovado nesta terça-feira (10) a minuta do Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA).

Na reunião estavam presentes todos os representantes das secretarias dos Estados Amazônicos e demais órgãos com assento no Condel. O PRDA foi a principal pauta da prévia na discussão. O Plano tem como principal objetivo apresentar uma proposta de desenvolvimento sustentável para a região amazônica, tendo como foco a redução das desigualdades regionais.

O superintendente da Sudam, Djalma Mello, lembrou aos presentes a trajetória de debates a qual o Plano foi submetido, há quase dois anos. O PRDA foi discutido pelos governos estaduais por meio de suas secretarias de Planejamento e de Meio Ambiente, levado a consulta pública, foi submetido à análise de diversos ministérios até chegar a sua versão final, apresentada na reunião desta terça-feira. 

Mello lembrou ainda que a Amazônia está há pelo menos 17 anos sem planejamento e que este é o momento de resgatar a estratégia de desenvolvimento da região.

Histórico
O PRDA é constituído de 12 programas voltados para o desenvolvimento dos setores de ciência e tecnologia, desenvolvimento industrial, energia, educação, integração econômica intraregional, saúde, saneamento, turismo, pecuária e abastecimento, recursos florestais, aperfeiçoamento da gestão pública regional, programa de pesca e aqüicultura, desenvolvimento da Faixa de Fronteira, econegócios e serviços ambientais.

Cada programa é constituído de metas e sugestão de fontes de recursos. Segundo o coordenador-geral de estudos de planos de desenvolvimento da Sudam, Adagenor Ribeiro, o PRDA tem pela frente a articulação para a superação de diversos desafios, o maior deles é a redução da pobreza. Dados do IBGE, de 2010, mostram que a região tem 2,5 milhões de pessoas vivendo na linha da pobreza. 

- “O PRDA deve ter a capacidade de apontar caminhos para a redução desses índices a médio e longo prazos”, afirmou Ribeiro.

Além disso, o Plano também mostra que a Amazônia ainda é uma região pouco industrializada, de relações comerciais inexpressivas e com graves problemas ambientais. Todas essas questões são tratadas no Plano e estipuladas metas para que estes problemas históricos sejam amenizados.

Os técnicos presentes à reunião sugeriram revisão em algumas das metas como nas áreas da saúde e da agricultura. Sugeriram ainda que o Plano seja rediscutido com os Estados, mesmo após a aprovação no Condel.

A próxima reunião do Conselho da Sudam acontece no dia 18 de abril, em Manaus, momento em que o PRDA deverá ser aprovado antes de ir ao Congresso Nacional.