Publicidade
Cotidiano
golpe milhas

Polícia alerta para o golpe das milhas falsas neste período de férias

Vítimas de " golpe das milhas" denunciam drama vivido que serve de alerta para que outras pessoas não sejam enganadas 08/01/2012 às 11:28
Show 1
Facilidades oferecidas para aquisição de passagens aéreas atraem viajantes
Mariana Braga Manaus

Férias escolares, recesso em muitas repartições públicas e mais feriados à vista com o Carnaval. O mês de janeiro é cheio de motivos para que as pessoas queiram viajar. Mas o titular da Delegacia Especializada em Roubos Furtos e Defraudações (Derfd), Orlando Amaral, alerta para os riscos de quem quer comprar passagens, para não cair no famoso “golpe das milhas”.

No início do mês de novembro, com a aproximação dos feriados de Finados, 2, e da Independência, 15, a comunicadora Amanda*, 31, juntamente com três colegas de trabalho e dois amigos pessoais, foi vítima de um estelionatário perigoso, que fez a oferta de passagens aéreas ao preço de R$ 300 cada.

Seduzidos pela facilidade e pelo baixo custo do bilhete com destino do Nordeste do País, todos amargaram prejuízos. Não só pelo pagamento ao estelionatário, mas pelo desgaste físico e mental. Tentar resolver a situação por telefone - sem sucesso - com o suposto vendedores serem surpreendidos com o golpe e as idas sucessivas à delegacia para registrar o Boletim de Ocorrência (B.O.), fizeram dos planos das vítimas, um verdadeiro pesadelo.

O provocador de tudo, já identificado pela Polícia Civil do Amazonas, é A.A.C, 29, que se diz jornalista, afirma já ter trabalhado em algumas empresas de comunicação de Manaus e, atualmente, mora na cidade de Esteio, há 20 quilômetros de Porto Alegre (RS). Hábil no crime, A.A.C, mais conhecido como “Deno”, agia e persuadia as vítimas por telefone, convencendo-as a transacionar os depósitos em uma conta da Caixa Econômica Federal.

“Ele ligou para minha colega de trabalho, oferecendo passagens aéreas para qualquer lugar do País por R$ 300 e para qualquer país da América Latina por R$ 500”, explicou Amanda.

* Nome fictício