Publicidade
Cotidiano
FILMAVA FUNCIONÁRIOS

Polícia apura caso de microcâmera escondida no banheiro da Câmara de Parintins

Segundo a polícia, um suspeito foi identificado e é um servidor do órgão municipal. Polícia aguarda mandado de busca e apreensão para investigar se funcionário possui outros tipos de gravações 04/09/2017 às 06:21 - Atualizado em 05/09/2017 às 10:04
Show camara
Caso ocorreu na Câmara Municipal do município, composta por 11 vereadores (Foto: Reprodução)
Oswaldo Neto Manaus (AM)

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso de uma microcâmera encontrada dentro de um banheiro utilizado por mulheres na Câmara Municipal do município de Parintins (a 365 quilômetros de Manaus). Segundo o delegado da cidade, Adilson Cunha, um funcionário do órgão é suspeito de ter implantado o aparelho no local. A polícia aguarda mandado de busca e apreensão para investigar se o suspeito possui outros tipos de materiais.

O caso foi registrado na última sexta-feira (1º) na Câmara Municipal de Parintins. Segundo o titular da delegacia, uma pessoa já foi identificada como o responsável de ter escondido a câmera. Ele seria um dos funcionários do órgão e foi afastado de suas atividades.

Conforme Cunha, o objeto foi achado por outro funcionário dentro de um armário do banheiro, que era utilizado por homens e mulheres. “Ela (câmera) estava fixada por baixo de um tablado dentro do armário. Era uma situação para que ficasse escondida mesmo. Na hora que o funcionário foi arrumar os materiais, achou a câmera. Apreendemos o material para investigar mais a fundo”, disse ele.

O delegado ainda informou que o suspeito foi identificado após a câmera ser analisada pela polícia. Nos registros, a polícia constatou imagens do funcionário e de um banheiro filmado em alguma residência. O delegado aguarda mandado de busca e apreensão para investigar se o suspeito possui acervo de outros materiais envolvendo lugares diferentes e até pornografia infantil.

Ainda segundo o delegado, as vítimas que aparecem nas gravações estão sendo ouvidas pela polícia, que ainda apura há quanto tempo o aparelho estava camuflado no banheiro.

O suspeito pode responder por importunação ofensiva ao pudor e deve prestar depoimento ainda nesta semana. Após isso, o caso será encaminhado à justiça.

Nesta segunda-feira (4), o presidente da Câmara Municipal, o vereador Maildson Fonseca (PSDB), falou que os procedimentos administrativos foram abertos. A reportagem tentou contato com o político por telefone, mas não obteve retorno, porém, ao site da Câmara de Parintins ele diz que a Mesa Diretora não será omissa diante do que ocorre dentro e fora do parlamento. 

"Vou continuar esclarecendo que não seremos omissos em nada, pois os 11 vereadores que aqui estão comungam do mesmo pensamento. As pessoas que infringiram ou causaram algum problema a este parlamento deverão responder diretamente pelos seus atos, os quais nós estamos sim em fase de apuração. Quando se tratar do fim desses processos a sociedade vai ter uma resposta, uma vez que essa Casa não vai passar a mão na cabeça de ninguém", disse ele.