Publicidade
Cotidiano
Notícias

Policia Militar decide fazer um corredor de isolamento em cidade do interior do AM no dia da eleição

A cidade de Nhamundá tem registrados casos de violência entre os simpatizantes das duas candidaturas. Por isso, a Polícia Militar irá fazer um isolamento humano e dividir a cidade ao meio durante o pleito eleitoral. 03/10/2012 às 19:20
Show 1
PM irá dividir a cidade de Nhamundá ao meio no dia da eleição
Jonas Santos Manaus (AM)

Os policiais militares que fazem a segurança em Nhamundá ( a 375 quilômetros de Manaus) irão dividir a cidade ao meio com a finalidade de evitar conflitos entre os eleitores que apóiam os prefeituráveis Israel Paulain(PMDB) da “Coligação Todos unidos pelo bem de Nhamundá (DEM/PCdo /PMDB/PT/PRP/PSD/PTB)”,  e Gledson Paulain Machado, o Nenê Machado(PDT), da “Coligação Unidos Por Nhamundá” (PDT/PHS/PPL/PSL) que realizam hoje à noite os comícios de encerramento da campanha. A juíza Eleitoral Vanessa Leite Mota e a promotora eleitoral Elizandra Guedes chegaram a deixar a cidade pela insegurança no município. O delegado de polícia de Parintins, Ivo Cunha, e mais 25 policiai militares foram deslocados para reforçar a segurança do pleito na cidade, que faz divisa com o Estado do Pará.

“Iremos fazer um isolamento humano para dividir a cidade ao meio. De um lado ficará a turma de vermelho e do outro o pessoal de amarelo”, informou o delegado. Paulain realizará seu comício na rua Souza Filho, bairro Santo Antônio e Nenê irá para o Centro da cidade. Em Manaus, a juíza relatou ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AM), Flávio Pascarelli, que teve a casa invadida duas vezes e a promotora contou que foi abordada por mais de 200 correligionários de um candidato depois da prisão de uma pessoa. Pascareli visitou Nhamundá e disse as lideranças políticas que não iria tolerar os abusos.

Em Nhamundá, os aliados dos candidatos são conhecidos pelas cores. Os que usam a bandeira amarela são torcedores do candidato Nenê Machado e os da bandeira vermelha de Israel Paulain, que é o apresentador oficial do boi Garantido, em Parintins. Essas bandeiras passaram a substituir os cartazes dos candidatos e ficavam hasteadas nas residências dos moradores, como meio de demarcar território.   O acirramento é tamanho que a juíza Eleitoral Vanessa Leite Mota determinou a retirada dessas bandeiras das casas, permitindo somente o
uso em caminhadas ou bandeiraços nas ruas.

A campanha no município funciona com milícias que atuam principalmente com a utilização de voadeiras no rio Nhamundá, que banha a cidade e a divide com o município de Faro, no Pará. Esses grupos fiscalizam os adversários políticos, com o intuito de flagrar crimes eleitorais e o
enfrentamento resulta em violência com uso até mesmo de armas de fogo.
Ontem, a polícia apurava um novo conflito entre os eleitores. Um homem, ainda não identificado, teria feito o disparo de um revólver contra um opositor.

De acordo com o Comandante do Comando de Policiamento do Interior (CPI) Tenente coronel Rommel Paulo Pereira, foram enviados para os municípios mais de 800 policiais para reforçar a segurança nas eleições.