Publicidade
Cotidiano
Notícias

População dorme na fila para fazer biometria em Iranduba

Apenas um funcionário do TRE faz o atendimento; pessoas passam a noite em frente ao cartório para conseguir uma senha 20/01/2016 às 19:55
Show 1
Eleitores dormem sobre sacos plásticos e papeções na esperança de conseguir uma das dez senhas distribuídas
Janaína Andrade Manaus (AM)

A escassez de senhas somada à falta de funcionários para realizar o recadastramento biométrico eleitoral no município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) tem obrigado moradores a madrugar em frente ao cartório eleitoral da cidade na esperança de serem atendidos.

De acordo com moradores, atualmente dez senhas são distribuídas rigorosamente às 8h da manhã, mas o atendimento, feito por apenas um funcionário, inicia somente às 13h e termina às 19h. A situação classificada pela população como “humilhante”, atinge não somente aqueles que moram no município, mas também os eleitores do distrito do Cacau Pirêra e de comunidades rurais próximas.

A auxiliar administrativa, Lindinalva Dourado, 29, tentou cinco vezes conseguir uma senha para ser atendida, mas até hoje não teve sucesso. “Me sinto rebaixada e desrespeitada enquanto cidadã. O voto é obrigatório, temos que fazer o recadastramento e disponibilizam dez senhas? É uma humilhação muito grande para qualquer pessoa ficar 24 horas ou mais numa fila para conseguir uma senha para fazer a biometria, sendo que muitas pessoas vêm de comunidades distantes, como a do Rio Negro, que chegam a demorar 12 horas na viagem para chegar ao município e descobrir que não há mais fichas”, disse.

Na última quarta-feira (20), no início da tarde, as primeiras pessoas
já se acomodavam na frente do cartório dispostas a passar a noite

Mariza Ferreira Salgado, 26, mora no distrito do Cacau Pirêra, mas trabalha em Iranduba, e relatou que também não consegue ser atendida. “As pessoas levam cadeiras, comida, roupa, colchão para acampar mesmo em frente ao TRE, mas infelizmente não tenho essa disponibilidade. Duas vezes já cheguei às 8h e não consegui senha alguma. Nas duas vezes presenciei alguns moradores discutindo por essa situação, mas é de indignar qualquer um mesmo. Minha irmã conseguiu fazer a biometria, mas ela passou três noites acampada revezando com o marido”, relatou.

Questionado sobre as reclamações, o secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Messias Andrade, admitiu o problema.

“Só temos um servidor atendendo porque é chefe de cartório, o  outro servidor era da Prefeitura de Iranduba e foi devolvido e um técnico está de férias. O horário é de 13h às 19h, que é padronizado ao resto do Estado, e são distribuídas 12 fichas, que é o que podemos dar conta. Tão logo o servidor que está de férias retorne, devemos melhorar o atendimento”, avaliou Messias.

Apesar da insuficiência de senhas e de atendimento, a presidente do TRE-AM, desembargadora Socorro Guedes, inaugurou, no dia 29 de outubro de 2015, o Cartório da 56ª Zona Eleitoral de Iranduba.

Na ocasião a presidente declarou que “agora estamos entregando a Iranduba este prédio da Justiça Eleitoral, onde ele responde de forma extremamente satisfatória, com respeito que temos pelos nossos eleitores”.

Blog: Danielly Nilo, publicitária

"Faz vários  meses  que as pessoas daqui de Iranduba estão tentando fazer a biometria, a gente sabe que o prazo que a gente tem é curto, mas só são distribuídas dez fichas por dia para atender ao município e ainda o distrito do Cacau (Pirêra) e as comunidades rurais, tudo para o mesmo cartório eleitoral com um funcionário. Quando você chega lá às 8h da manhã não tem mais ficha, porque as fichas que havia foram dadas para aquelas pessoas que se submeteram à humilhação de dormir ali, na porta do cartório. Isso está prejudicando muito a população, pois há pessoas que vêm de longe, precisam pagar passagem e chegam aqui e não consegue atendimento. São informados pelos próprios servidores do TRE que só conseguem ficha se dormirem lá na porta. Mas nem todo mundo pode dormir lá na porta, tem muita gente que trabalha, e fica nessa humilhação".

‘Iranduba está sendo tratada com descaso’

Welmar Leão, 38, vigilante, usou a rede social Facebook para protestar contra o atendimento oferecido pelo cartório eleitoral do município de Iranduba.

Em apenas uma publicação na rede social onde  inseriu quatro fotos que mostram pessoas dormindo no chão em cima de sacos plásticos, pedaços de papelão, lençóis ou mesmo improvisando travesseiros com mochilas, Welmar Leão conseguiu 137 compartilhamentos.

“Já fiz o recadastramento biométrico ainda no ano passado, mas foi impossível não me sensibilizar com aquelas pessoas dormindo expostas ao perigo para conseguir fazer o recadastramento da biometria. Isso mostra que o poder público está tratando o povo irandubense com descaso. O que adiantou investir num prédio novo, bem aparelhado, pintado, cheio de grades, e deixar as pessoas sem atendimento? Isso não é racional”, concluiu o vigilante.