Publicidade
Cotidiano
Notícias

Prefeitura de Manaus silencia sobre praia da Ponta Negra

Desde junho, quando a reforma da primeira fase do Complexo de Lazer Ponta Negra foi entregue, 12 pessoas morreram. Secretário diz que não vai se pronunciar sobre recomendação de interdição da Ponta Negra, feita pelo Ministério Público Estadual 10/11/2012 às 15:33
Show 1
Praia da Ponta Negra
Florêncio Mesquita Manaus (AM)

Mesmo com a recomendação do Ministério Público Estadual (MPE) para que a praia da Ponta Negra seja interditada imediatamente, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), Manoel Ribeiro se nega a comentar o assunto. Ontem, ele disse, por meio de assessoria de imprensa, que “não vai comentar absolutamente nada sobre uma nova interdição do balneário”.

A recomendação foi feita pela 63ª Promotoria de Justiça Especializada na Proteção e Defesa da Ordem Urbanística (Prourb) do MPE. A promotoria sugere que a praia fique fechada até a conclusão de estudos técnicos que indiquem condições seguras para o uso do local.

A praia ficou 27 dias interditada para reparos técnicos, nos quais foram adicionados 1,5 mil metros cúbicos de areia aos 980 mil metros cúbicos que já haviam sido utilizados na construção da praia perene.

Apesar da confirmação de que seria notificado pelo MPE sobre as 12 mortes por afogamento no balneário, Ribeiro preferiu se esquivar dos questionamentos e não respondeu se vai ou não acatar a recomendação do órgão estadual.

Em meio à falta de manifestação da presidência do Implurb, o MPE abriu inquérito civil para investigar se as mortes que ocorreram na praia da Ponta Negra sofreram influência das obras da praia perene construída pela Prefeitura.

A medida do 63ª Prourb surgiu por conta dos constantes afogamentos na praia, que teriam sido causados por buracos submersos na praia. O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) está elaborando um laudo com informações sobre profundidade, velocidade e temperatura da água para ajudar a elucidar se a praia está inapropriada para uso público. O documento só será divulgado na primeira quinzena de dezembro.

A CRITICA enviou questionamentos por e-mail, no início da manhã, para a assessoria do Implurb, mas eles não foram respondidos. Após algumas tentativas, via telefone, a assessoria atendeu. Solicitada a intermediar contanto com Ribeiro, a assessoria enfatizou que ele não falaria com a imprensa.

Vítimas

A primeira morte por afogamento na praia da Ponta Negra, desde que o balneário foi entregue, em junho, foi registrada no dia 2 de julho. A última, ocorreu no último dia 28. A maioria das vítimas é do sexo masculino, com idade entre 17 e 30 anos.