Publicidade
Cotidiano
Notícias

Presos envolvidos em rebelião de cadeia em Parintins são transferidos para Itacoatiara

Uma equipe da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) acompanhou o translado dos detentos em avião do Governo do Estado 30/10/2012 às 11:56
Show 1
Presos que participaram de rebelião em Parintins são transferidos para Itacoatiara
JONAS SANTOS ---

PARINTINS, AM – Sete presos que participaram da rebelião, em Parintins ( a 325 quilômetros de Manaus), no sábado, foram transferidos na manhã desta terça-feira para os presídios de Manaus e Itacoatiara. Uma equipe da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) acompanhou o translado dos detentos em avião do Governo do Estado. As celas da 3ª. Delegacia Regional Interativa de Polícia Civil, onde os presos de Justiça estavam recolhidos provisoriamente, foram destruídas durante o motim e eles tiveram que ser removidos para a unidade prisional do município, que está interditada devido à superlotação de presos.

O tenente-coronel  da Tropa Especializada da Polícia Militar, Antônio Escóssio, responsável pela operação, informou que três detentos serão deixados na cidade de Itacoatiara e os demais seguirão para Manaus. O juiz Antônio Itamar Gonzaga, da 3ª. Vara da Comarca, que esteve no presídio acompanhando a remoção dos detentos, disse que a transferência deles ocorreu por causa das condições do presídio e também para garantir a integridade física dos internos. “ Eles também estão sendo transferidos porque são considerados perigosos. Muitos
deles tem rixa com outros presos e havia risco de morte”, afirmou o magistrado. Itamar disse que a decisão de transferir os principais envolvidos no motim partiu de uma decisão conjunta entre os três juízes da Comarca e a Secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos (Sejus).

A Delegacia de Polícia passou a receber os presos depois da interdição do presídio em agosto de 2011, por determinação da Justiça. Na Delegacia estavam alojados 37 internos, desses 23 eram para estar na unidade prisional. O presídio funciona além de sua capacidade que era
de 39 presos. A população do presídio hoje é de 172 pessoas. Ontem, mais duas pessoas foram presas e baixaram para a cadeia. “Não vamos parar com o nosso trabalho por causa disso. Bandido que aprontar vou flagrantear e baixar para o presídio”, afirmou o delegado de polícia,
Ivo Cunha. Com o prédio da carceragem parcialmente destruído na rebelião, o delegado disse que não iria mais aceitar que os presos de Justiça fossem mandados para a delegacia. A cúpula da Sejus reunirá amanhã para definir uma saída à situação de crise no sistema prisional
do município.