Publicidade
Cotidiano
Notícias

Produção Industrial do Amazonas apresenta queda de 3,0%

Dado foi divulgado nessa terça-feira (10), pelo IBGE e diz respeito ao mês de novembro de 2011. Outros oito Estados apresentaram crescimento 11/01/2012 às 09:34
Show 1
Produção Industrial Brasileira em Novembro/IBGE
Jornal Acrítica Manaus

O Estado do Amazonas integra a lista de seis que apresentaram queda no índice regional de Produção Industrial se comparado novembro de 2011 ao mês anterior. Na outra ponta, oito dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentaram crescimento.

O Amazonas apresentou queda de - 3,0%, ficando atrás apenas do Estado da Bahia, que apresentou amaior queda (-6,4%). Integram ainda o grupo dos que tiveram retração na produção industrial o Ceará (-0,3%), Rio Grande do Sul (-1,3%), Pernambuco (-2,4%) e região Nordeste (-2,9%).

Essa queda é a segunda taxa negativa consecutiva nesse tipo de comparação, acumulando nesse período perda de 3,4%. Ainda na série com ajuste sazonal, o índice de média móvel trimestral apontou queda de 1,0% entre os trimestres encerrados em outubro e novembro, após ficar praticamente estável (0,1%) no mês anterior.

No ano

Se comparado novembro de 2011 com novembro de 2010, o Amazonas apresentou pequeno crescimento na produção industrial de 0,5%. Os destaques vão para os setores de refino de petróleo e produção de álcool (45,2%) e de equipamentos de transporte (5,7%).

Para o diretor de divulgação do IBGE no Amazonas, Adjalma Jaques, o setor de refino foi impulsionado, em grande parte, pela maior produção de gasolina automotiva, óleo diesel e outros óleos combustíveis, bem como de equipamentos de transporte influenciado principalmente pela maior fabricação de motocicletas.

Em contrapartida, o principal impacto negativo sobre a média geral foi assinalado por material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (-5,5%), vindo a seguir equipamentos de instrumentação médico-hospitalares, ópticos e outros (-5,1%) e produtos de metal (-8,0%), pressionados em grande parte pelos recuos na produção de televisores, relógios de pulso e aparelhos de barbear, respectivamente.

 Acumulado

No acumulado de janeiro a novembro de 2011, frente a igual período do ano anterior, nove dos 14 locais investigados mostraram expansão na produção, com destaque para Espírito Santo (6,7%), impulsionado pelo crescimento de dois dígitos do setor extrativo, Goiás (6,2%), Paraná (5,6%) e Amazonas (4,0%).

No terceiro trimestre do ano de 2011 comparado ao mesmo período do ano anterior a variação da produção industrial no Estado foi de 8.4% e quando avaliado o período de outubro/ novembro de 2011 em relação a 2010 a variação foi de 8%.

Neste período, as contribuições positivas mais significativas sobre a média global vieram de outros equipamentos de transporte (17,6%), equipamentos médico-hospitalares, ópticos e outros (31,0%) e de máquinas e equipamentos (10,0%).

Nesses ramos sobressaíram, respectivamente, a maior produção de motocicletas, relógios de pulso e de fornos de microondas. Em sentido oposto, o setor de alimentos e bebidas (-9,1%) exerceu a principal pressão negativa no total da indústria, explicado em grande parte pela menor produção de preparações em xarope e em pó para elaboração de bebidas.