Publicidade
Cotidiano
Notícias

Professor é acusado da morte de estudante do município de Itacoatiara (AM)

Marcos Roberto de Oliveira, 30, mantinha relacionamento com a estudante Sabrina Campos Pantoja, 14, há quatro anos 21/03/2012 às 12:15
Show 1
Família e polícia acreditam que crime tenha sido motivado por ciúmes, por conta do depoimento do namorado dela
Joana Queiroz Manaus

A Polícia Civil do Município de Itacoatiara (a 170 quilômetros de Manaus), prendeu em flagrante o professor do ensino fundamental da Escola Estadual irmãs Doroteia, Marcos Roberto de Oliveira, 30, como sendo o principal suspeito de autoria do homicídio da estudante Sabrina Campos Pantoja, 14, ocorrido na madrugada de sexta-feira. Segundo a polícia, o crime teria sido motivado por ciúme.

De acordo com a mãe da estudante, a dona de casa, Sandra Campos Pantoja, 39, o professor e a estudante namoravam desde que ela tinha 10 anos de idade.

Embora casado, Marcos tinha muito ciúmes da adolescente e nas últimas semanas vinha ameaçando-a, de morte porque Sabrina estava namorando um outro adolescente que mora na capital.

Revolta
O crime causou revolta na população do conjunto Cidadão, onde a estudante morava com os pais. Um grupo tentou invadir a casa de Marcos e linchar a mulher dele. Nesta segunda-feira (19), a informação é de que a família do professor teve que sair da cidade temendo represálias.

No sábado à tarde, antes de acontecer o sepultamento de Sabrina, a família, amigos e vizinhos fizeram uma manifestação em frente à delegacia, onde o suspeito está preso, pedindo justiça. A estudante foi enterrada por volta das 16h, no cemitério da cidade.

Crime
Sabrina foi encontrada morta, com um tiro na cabeça,  em um terreno baldio do Polo Madeireiro. Segundo a polícia o corpo da estudante estava a aproximadamente 50 metros do prédio da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), onde o professor trabalhava como segurança durante a noite.

Nesta segunda (19) a delegada Ketlen Liliane Pereira, que está presidindo o inquérito, disse que o professor foi preso na sexta-feira, pela manhã, na escola onde dava aula. Ele foi levado para a delegacia onde foi ouvido em depoimento. O suspeito negou a autoria do crime.

Arma ainda não encontrada
Segundo a delegada, a prisão do professor foi baseada em provas testemunhais colhidas durante as investigações.

Para a mãe de Sabrina não há dúvidas de que foi Marcos quem matou sua filha. Até ontem, a polícia ainda não havia apreendido a arma do crime, que pertence a empresa de segurança Marshal, onde Marcos trabalhava.

A delegada disse que vai requisitar a arma para ser submetida à perícia e vai fazer a comparação da bala que foi retirada do corpo da estudante. A adolescente tinha o nome do professor tatuado no cóccix e uma declaração de amor para ele na página de um de seus cadernos de aula.

Ameaça
Segundo a delegada Ketlen Liliane Pereira há fortes indícios da participação do professor na morte de Sabrina. Um deles é o depoimento prestado pelo adolescente com quem Sabrina estava namorando.

Ele declarou à polícia que Marcos obrigou a estudante terminar o namoro com ele por telefone e ainda chegou a ameaçá-lo de morte.


Esclarecimento
Em nota de esclarecimento, a Universidade de Estado do Amazonas, por meio do Centro de Estudos Superiores de Itacoatiara (Cesti) esclarece que o acusado Marcos Roberto de Oliveira não faz parte do quadro de funcionário terceirizado da Universidade.