Publicidade
Cotidiano
Notícias

Professor é preso por aliciar aluna em Presidente Figueiredo (AM)

Homem teria cometido crime contra estudante de 9 anos, no dia 4 de dezembro. Ele foi preso em cumprimento de mandado de prisão expedido pela Justiça 20/01/2016 às 15:29
Show 1
Caso ocorreu em uma escola municipal de Presidente Figueiredo
VINICIUS LEAL Manaus

O professor Márcio Sá de Souza, 41, foi preso no município de Presidente Figueiredo, distante 117 quilômetros de Manaus, por cometer estupro de vulnerável contra uma aluna dele, uma garota de 9 anos de idade. O crime teria ocorrido na tarde do dia 4 de dezembro, em uma escola municipal do município.

A prisão do professor ocorreu ontem, terça-feira (19), em cumprimento de mandado de prisão expedido pela Justiça. O professor vinha sendo investigado desde dezembro, quando o pai da garota foi à delegacia denunciar o crime após a filha contar a história. Ele estava solto por falta de provas, mas a juíza Ana Paula de Medeiros Braga, da Comarca de Presidente Figueiredo, aceitou o pedido de prisão preventiva solicitado pelo delegado Valdnei Antônio Silva.

“No decorrer do inquérito foram feitos vários laudos. Ela (a vítima) passou por exames psicossociais e daí chegou-se à conclusão que ela era bem contundente no que falava. De fato há indícios de que ele cometeu o crime, como o laudo dos psicólogos”, informou o investigador Alves, do 37º DIP.

Segundo a polícia, não houve violência sexual de fato, mas aliciamento. “A garota alega de que além de ele ter passado a mão nela, (ele) tentou beijá-la”, explicou o policial civil Alves. “Na volta do recreio ele teria dito ‘estou muito triste com você’. E uma testemunha ouviu o professor falando essa frase. Só que a pessoa, na época, não sabia do contexto, e isso corrobora com a verdade. Agora a Justiça que vai decidir”.

O professor negou que tenha aliciado a estudante. “Ele nega o fato e diz apenas que tinha chamado ela (sic) para conversar sobre a arrecadação do dinheiro usado para ornamentação da sala para o Natal, atividades escolares”, contou o policial Alves, por telefone.

Ontem, quando foi preso, o professor já estava afastado das atividades em sala de aula, segundo a polícia. A reportagem não conseguiu confirmar se ele responde a algum procedimento administrativo na Prefeitura de Presidente Figueiredo. O professor permanece preso na carceragem do 37º DIP.

Dinheiro na calcinha

Durante o inquérito policial, a vítima contou que o professor havia colocado dinheiro dentro da calcinha dela, o que foi negado por ele. “Seria o próprio dinheiro que ela entregou para ele para a ornamentação da sala para o Natal, mas como ela não tinha dinheiro para a merenda ele teria devolvido para ela”, disse o policial.

Outros crimes

Além de responder na Justiça pelo crime de estupro de vulnerável, o professor também é processado por outros dois crimes: atentado violento ao pudor em 2006 e outro por assédio sexual, em 2012. “Há rumores de outras vítimas, mas não há outras denúncias formalizadas”, contou o policial civil Alves.