Publicidade
Cotidiano
Notícias

Professores federais em greve realizam ato público na quinta-feira em Manaus

A manifestação dos docentes tem por objetivo mostrar à sociedade que a paralisação das universidades federais continua por tempo indeterminado, aé que o governo retome as negociações com a classe. 29/08/2012 às 18:42
Show 1
Greve dos Professores Universitários
acritica.com Manaus (AM)

Em greve há mais de 100 dias, os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) realizam na quinta-feira (30), a partir das 8h30, um ato público no “Bosque da Resistência”, na entrada do Campus Universitário.

O objetivo é mostrar à sociedade que a paralisação dos docentes das universidades federais de ensino continua por tempo indeterminado, até que o governo reabra as negociações com a categoria.

“Vamos continuar na luta pela reestruturação da carreira docente e melhoria das condições de trabalho. Essa proposta do governo é ainda pior do que a que já está em vigor”, afirmou o coordenador do Comando Local de Greve (CLG) e presidente da Associação dos Docentes da Ufam (Adua), Antônio Neto.

Manifestações semelhantes também irão acontecer em outras cidades brasileiras, conforme orientação do Comando Nacional de Greve (CNG).

No ato, os professores irão distribuir panfletos explicativos sobre a desmistificação da proposta apresentada pelo governo e enrolar uma faixa preta no totem com as inscrições da Ufam, simbolizando o luto pela morte da Educação Pública.

“Essa ação evidencia a postura do governo que ignorou as nossas reivindicações, não negociou e ainda nos impõe uma data para sair de greve”, disse Antônio Neto.

No Comunicado Geral enviado no dia 13 de agosto, o Ministério do Planejamento reitera a orientação para efetuar o "corte do ponto" referente aos dias parados, tendo como justificativa “falta por greve”. A reitoria da Ufam garantiu que os professores em greve não sofrerão “corte no ponto”.

Servidores saíram da greve

O corpo técnico adminisrativo da Ufam já retornou ao trabalho no começo da semana (27), após aceitarem a proposta de reajuste oferecida pelo governo Federal.