Publicidade
Cotidiano
Notícias

Profissionais recorrem a instituições para iniciar estudos de mandarim em Manaus

Disponível em um grupo ainda pequeno de instituições, o aprendizado do idioma também é motivado pela realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014 na cidade 24/06/2012 às 09:47
Show 1
Alunos da FESPM são guardas municipais, assistentes do Samu e demais servidores que atendem ao público externo
Priscila Mesquita Manaus

O aumento de empresas chinesas com presença em Manaus, aliado ao crescente número de turistas que saem daquele país para conhecer o Amazonas, vem estimulando a oferta de cursos de mandarim  (língua oficial da China). Disponível em um grupo ainda pequeno de instituições, o aprendizado do idioma também é motivado pela realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014 na cidade.

Atento a esses fatores, o agente municipal de trânsito Elom de Oliveira iniciou os estudos de mandarim na última semana. Há dez anos trabalhando nas ruas de Manaus, ele afirma que o domínio de línguas estrangeiras é necessário para o atendimento dos turistas que pedem informações. “Nossa profissão exige qualificação e aperfeiçoamento, porque atendemos a turistas nacionais e estrangeiros. É muito importante dominar um ou dois idiomas”, disse.

No segundo semestre, Elom vai retomar um curso de espanhol que foi interrompido e ainda começa uma pós-graduação em Engenharia de Trânsito. Para iniciar os estudos da língua chinesa, ele e outros 46 alunos se inscreveram no primeiro curso de mandarim básico promovido pela Fundação Escola de Serviço Público Municipal (FESPM).

O curso gratuito faz parte do “Programa de Capacitação para a Copa 2014”, que prioriza os idiomas mais falados no mundo e que lideram a procura dos servidores. Além do mandarim, o programa também oferece turmas de inglês e espanhol em quatro níveis, que vão do ensino básico ao nível três (avançado).

A diretora presidente da FESPM, Angela Bulbol, explica que as aulas de mandarim terão 78 horas de duração e vão acontecer às segundas e sextas-feiras, de 18h30 a 21h30. “Não há como ignorar o crescimento da China. É imprescindível que os profissionais consolidem suas carreiras a partir do domínio do mandarim, que desde 2009 está entre os mais solicitados pelos servidores municipais”, afirma.

A diretora do órgão admite que o aprendizado proporcionado pelo curso será inicial, dada à complexidade da língua. Como a duração é de apenas três meses, as aulas serão focadas em conhecimentos gerais da cultura, como saudações e boas maneiras, condições do clima, pontos turísticos do país, ética, moeda e verbos principais.

“É possível que a Fundação ofereça cursos de mandarim intermediário e avançado. Mas isso vai depender do desempenho dos alunos da turma atual. Só vai receber o certificado quem tiver 92% de frequência e sete pontos na média”, ressalta.

Opções do mercado
Outra instituição pública que oferece o curso de mandarim é o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). Atualmente, a instituição possui uma turma com 23 alunos, que vão concluir os estudos em 2013. A iniciativa do órgão foi lançada em 2009, com o objetivo de aperfeiçoar 300 profissionais do setor de turismo, por meio do ensino do inglês, espanhol, francês e mandarim.

O projeto do Cetam é realizado em parceria com a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Dentre as escolas de idiomas, a unidade do Wizard no bairro Parque Dez é uma das que possui o curso de chinês. Com duração de dois anos e meio, o curso é voltado para alunos com idade mínima de 15 anos.

A próxima turma de mandarim do Wizard tem início das aulas previsto para agosto. A primeira mensalidade custa R$ 304, mas quem pagar R$ 313 pode ter desconto de 25% nas 23 mensalidades posteriores. O custo do material é R$ 299.

Chineses no AM
Dados da Amazonastur apontam que a vinda de turistas chineses ao Amazonas cresceu 6,1% em 2011, em relação a 2010. No ano passado, o Estado recebeu 11,3 mil turistas da China. Em 2010, o fluxo de chineses ficou em 10,6 mil.