Publicidade
Cotidiano
ESTRADA

Projeto que busca construir estrada para ligar AM e Pará tem aprovação de municípios

A “Ponte de Safena”, idealizada pelo empresário Jeovam Barbosa e pretende construir estrada de 434 quilômetros, aguarda parecer do Governo do Amazonas 16/04/2018 às 14:22 - Atualizado em 16/04/2018 às 14:25
Show show amazonas 3333
Maquete ilustrativa do projeto ficou em exposição na ALE-AM, em Manaus, enquanto o assunto foi discutido por deputados (Foto: Elisa Maia/ALE-AM)
Álik Menezes Manaus (AM)

O projeto denominado “Ponte de Safena”, idealizado pelo empresário Jeovam Barbosa, que pretende construir uma estrada de 434 quilômetros de extensão e três pontes para ligar o Amazonas ao Pará, tem aprovação de todos os municípios por onde passaria a via terrestre, conforme Jeovam, mas aguarda um parecer favorável do Governo do Amazonas.

O idealizador defende que a estrada possibilitará o desenvolvimento da economia da região com a interligação do Amazonas ao restante do País. A proposta já foi tema de reportagem de A CRÍTICA, publicada na edição do dia 28 de novembro do ano passado.

Segundo Jeovam Barbosa, o projeto foi entregue ao Governo do Amazonas na gestão de José Melo. Com a cassação do mandato do ex-governador, ele apresentou novamente o projeto ao governador Amazonino Mendes, que, segundo ele, gostou da proposta. “Está faltando só o governador assinar. Está na mesa dele. A justificativa dos órgãos é que não tem recurso para isso. A Seinfra diz que não tem dinheiro”, disse o empresário.

Conforme o idealizador, há dois bancos internacionais interessados em financiar o projeto. Além deles, segundo Jeovam, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) liberaria R$ 6 bilhões para investimento na obra, mas tudo depende da aprovação do Governo do Estado. “O projeto está liberado no BNDES, no valor de R$ 6 bilhões. O banco, inclusive, já mandou especialistas aqui no Estado, que aprovaram a viabilidade técnica. O Bird e o BAI (Banco Africano de Investimentos) já deram documentos dizendo que também quero o projeto, eles estão interessados”.

No ano passado, os municípios de Itacoatiara, Urucurituba e Maués, por onde a estrada passariam, assinaram um protocolo de intenção para o Consórcio Rodoviário Intermunicipal, que manifesta a união das prefeituras para a construção da estrada, onde também foram realizadas audiências públicas e onde foi manifestado interesse de todas as prefeituras. “O sonho é interligar nosso estado ao restante do País, haverá mais desenvolvimento na nossa região, nós estaremos conectados ao País por meio dessa estrada”, disse.

O  idealizador explicou para A CRÍTICA em entrevista no ano passado  que o nome do projeto surgiu por conta da possibilidade de fazer uma ligação mais curta e eficaz entre Manaus e a BR-230 (Transamazônica), a qual é possível apenas pela BR-319, estrada pela qual  circulam, principalmente, veículos de passeio. Já  a AM-174 e a AM-010 são estradas que têm estrutura para receber veículos de carga, assim como a BR-163, assim como seria a nova BR proposta. “A Ponte de Safena é uma realidade do município e Estado, uma necessidade da União”, enfatizou Jeovam  à época, quando a proposta foi levada à discussão na Assembleia Legislativa  (ALE-AM).

Segundo o economista Alberto Valério, que coassina o projeto, a “Ponte de Safena” permitirá a integração dos municípios do Baixo-Amazonas ao Médio-Amazonas além de possibilitar ao Amazonas aumentar de 0,17% para 0,32% a chegada dos produtos gerados no Polo Industrial de Manaus aos portos do Pará

O projeto prevê obras de construção de duas pontes sobre o rio Amazonas e uma no Tapajós. O projeto, inicialmente, custaria R$ 6 bilhões de reais aos cofres públicos. Contudo, o empresário Jeovam Barbosa afirma que o montante pode ser menor se considerar ajustar na própria economia do País, mas isso apenas um novo estudo confirmará.

Seinfra: ‘inviável’

A CRÍTICA entrou em contato com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) para saber da viabilidade e se o governo tinha interesse no projeto. Por meio de nota, a pasta informou que “a até o momento não há um projeto ‘Ponte de Safena’ aprovado, mas uma ideia apresentada pelo idealizador do projeto, Jeovam Barbosa”.

A nota informa ainda que a princípio trata-se de um projeto inviável devido ser uma obra de alta complexidade e demandar um alto valor de investimentos e o tempo do governo da atual gestão ser reduzido.

Publicidade
Publicidade