Publicidade
Cotidiano
Notícias

Protesto de usuários faz Instagram voltar atrás sobre comercialização de fotos

A resistência demonstrada através de comentários, fotos malcriadas e cancelamentos de contas, fez com que a empresa mudasse de ideia. O co-fundador da companhia, Kevin Systrom confirmou a desistência em seu blog oficial 21/12/2012 às 16:03
Show 1
Protestos contra o Instagram surte efeito e empresa volta atrás
Bruno Strahm Manaus (AM)

A polêmica tentativa da rede social de compartilhamento de fotos Instagram em comercializar as fotos de seus usuários, anunciada na noite de segunda-feira (17) gerou uma série de protestos de usuários do aplicativo em toda a internet durante esta terça-feira (18).

A resistência demonstrada através de comentários, fotos malcriadas e cancelamentos de contas, fez com que a empresa mudasse de ideia. O co-fundador da companhia, Kevin Systrom confirmou a desistência em seu blog oficial.

Em um trecho, ele afirma que a intenção da empresa nunca foi tomar para si os direitos autorais de usuários sobre suas fotos. Agora, eles falam em ‘licença de uso’ das mesmas fotografias.

Revolta

Usuários famosos e anônimos do aplicativo postaram fotos de protesto contendo ofensas à intenção da empresa. Muitos até cancelaram sua conta na rede social por conta da decisão.

O famoso chef de cozinha Alex Atala postou fotos sobre o assunto contendo o famoso dedo do meio. A atriz Betty Lago também entrou na mesma linha e postou foto semelhante.


Ambas eram acompanhadas da Hastag #SellThisZuckerberg (#VendaIstoZuckerberg), fazendo uma alusão a Mark Zuckerberg, dono do Facebook que comprou o Instagram no começo do ano.

O fotógrafo Christian Alencar, fotógrafo profissional e usuário do aplicativo foi taxativo.  “Achei uma tremenda falta de ética e respeito. Algo que o próprio Instagram propôs. A capacidade de colocar o que acha legal, naquele momento e tornar uma sociedade mundial mais próxima pela imagem e sentimento que aquela pessoa passava”, disse enfaticamente.

“Além de protestos, li muitas piadas a respeito disso, ‘faz download de mp3 e quer  ter direitos das fotos no instagram’. Mas acredito que eu não gostaria de ver uma foto minha atrelada a algum anúncio publicitário”, comentou a designer de interior, Laelia Nogueira.

Antes de saber da desistência da empresa, o membro do Fotoclube Lentes da Amazônia, Victor Sabino, estava decidido a encerrar sua conta no Instagram. “Esperarei por uma ferramenta que eu possa retirar todas as fotos, transplantá-las para outro lugar (no Flickr, talvez) e encerre a minha conta.


Interesses reais

Por trás da empresa acima de qualquer suspeita, que permite ao usuário brincar com a textura de suas fotos por meio de diferentes filtros de efeito, está uma companhia como outra qualquer, que busca ser rentável economicamente.


“A finalidade dos donos de redes sociais é sempre permitir que seus usuários compartilhem informações que levem a observar nichos e tendências para fins comerciais”, diz a mestre em Ciência da Comunicação Judy Tavares.

Para ela, o grande número de cancelamento de contas e a visível insatisfação demonstrada pelos usuários do Instagram é fundamental para o relacionamento entre empresa e cliente. “Este movimento de resistência que presenciamos é importante. Lembra aos donos das companhias que não se pode mexer com algo tão delicado como termos de privacidade”, finaliza Judy Tavares.