Publicidade
Cotidiano
Notícias

PSD estreia nas urnas ficando em quarto lugar entre os partidos mais votados

O partido foi criado no ano passado a partir de uma dissidência no Democratas (DEM), mas também atraiu políticos de outras siglas. Cientista político Ricardo Caldas crer que a sigla se tornará estratégica na disputa presidencial em 2014 29/10/2012 às 17:41
Show 1
Empresário Alexandre Lopes Kireeff após ser eleito em Londrina (PR) disse em coletiva que quem venceu não foi a pessoa dele, mas a ideia de uma nova política
Marcos Chagas e Ivan Richard/ Agência Brasil Brasília

O PSD, partido estreante nas urnas, conquistou o quarto lugar entre os mais votados do país. De acordo com os dados consolidados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a legenda administrará, com a posse dos novos prefeitos, 497 dos municípios brasileiros, o que equivale a 8,9%. O partido foi criado no ano passado a partir de uma dissidência no Democratas (DEM), mas também atraiu políticos de outras siglas.

O partido foi superado nas eleições municipais somente por PMDB, PSDB e PT. Com esse desempenho e na condição de estreante eleitoral, o cientista político da Universidade de Brasília (UnB) Ricardo Caldas considerou que o PSD é “uma incógnita” para 2014. A força com que saiu das urnas nas eleições municipais torna o partido estratégico na disputa presidencial, segundo ele.

Além disso, Caldas destacou que, por se comportar como “um partido de abrigo” a políticos sem viés de esquerda ou de direita, a legenda pode fazer alianças com partidos de tendências diversas. “O PSD é um partido novo, em formação, que cresceu independentemente de ideologia. Agora, o momento é de observar os seus próximos passos. Hoje, ele é uma incógnita”, disse Caldas à Agência Brasil.

Os melhores desempenhos do PSD ocorreram no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, regiões onde conseguiu se posicionar em terceiro lugar na preferência de votos do eleitorado. No Norte, o partido conquistou 15,1% das prefeituras, somando 68, uma a menos que o PSDB, que obteve o segundo melhor desempenho.

Já no Nordeste, a legenda conquistou 206 prefeituras, o que representa 11,5% do total de 1.793. Apenas PSB e PMDB superaram o PSD na região. No Centro-Oeste, a legenda administrará 61 cidades, ou seja, 13,1% das existentes na região. Os tucanos, por exemplo, conquistaram apenas sete prefeituras a mais, o que lhes garantiu o segundo lugar no ranking do desempenho partidário na região.

Mesmo sem obter o mesmo posicionamento conquistado no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, o PSD demonstrou força política também nos estados do Sul. Dos 1.191 municípios do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a sigla terá 93 (7,8%) sob sua administração, a partir de 1º de janeiro. Esse número garantiu ao PSD o sexto lugar entre as legendas preferidas da região.

No Sudeste, entretanto, o partido não mostrou tanta força política como nas demais regiões. Com 69 prefeituras para administrar até 2014, o PSD ficou com 4,1% dos 1.668 municípios, atrás, por exemplo, de partidos que venceu no balanço nacional, como PDT, PR e PTB.

Edição: Davi Oliveira