Publicidade
Cotidiano
Notícias

Público de Fecani exagera na diversão causando diversas ocorrências policiais

Álcool para jovens, brigas, atentado ao pudor e pedofilia “rolaram” livremente durante Festival da Canção de Itacoatiara 11/09/2012 às 10:34
Show 1
Grupo de adolescentes pula em carroceria de carro durante a “balada” paralela ao Festival da Canção de Itacoatiara, que aconteceu no fim de semana
Náferson Cruz ---

O uso abusivo de bebidas alcoólicas, e possivelmente de drogas, agressões e indícios de prostituição, tudo regado ao som dos paredões (carros automotivos). Esses foram alguns dos momentos  registrados por A CRITICA durante o 28º Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani), realizado no último final de semana.

Os flagrantes foram registrados por meio de imagens capturadas em diversos pontos no entorno do Centro de Evento Juracema Holanda, onde ao menos 2 mil pessoas curtiam freneticamente o som dos batidões do funk, forró e música eletrônica.

Até então, tudo parecia normal, se entre os adultos não tivessem inúmeros adolescentes (meninos e meninas), na faixa etária de 13 a 17 anos de idade e até crianças, todas desacompanhadas. Os muitos jovens, eufóricos, sob efeito de bebidas alcoólicas, passavam dos limites.

A todo instante os adolescentes, quando não, crianças, subiam sobre os carros e nas caixas de som, onde dançavam ao mesmo tempo em que jogavam bebidas sobre os demais. Mais ousadas, as meninas faziam encenações sensuais, algumas até insinuavam que tirariam as peças de roupa íntimas. Outras levantavam a saia mostrando as partes íntimas ao público.

Sem controle

Sem nenhuma fiscalização, a compra de bebida alcoólica pelos adolescentes era freqüente junto aos vendedores ambulantes. Abordada enquanto comprava algumas latas de cerveja e uma carteira de cigarros, Maria Alice (*nome fictício), estudante do ensino médio no município, nem se importou em revelar a idade: 14 anos. Ainda disse que estava na companhia de mais cinco colegas e que juntas tinham consumido três caixas de cerveja.

Questionada quanto ao consumo excessivo de bebida alcoólica, a estudante foi breve na resposta: “A festa estava apenas começando. Uma hora depois, Maria Alice e uma de suas colegas, também adolescente, foram vistas trocando beijos com dois homens que aparentavam ter idades muito mais avançadas que elas. Não demorou muito, para que as adolescentes deixassem o local na companhia destes dois homens.

As imagens mostram ainda cenas de uma pancadaria entre grupo de jovens supostamente alcoolizados. Aos socos e ponta pés, os envolvidos na confusão, não se intimidavam nem com a presença de uma equipe da polícia, que estava a 50 metros dali, atuando na segurança no entorno do centro de evento.

Em outros locais, a reportagem identificou inúmeras pessoas utilizando árvores, postes e muros, para fazerem suas necessidades fisiológicas. No entorno do centro evento, não havia disponível nenhum banheiro químico.