Publicidade
Cotidiano
Notícias

Rebecca Garcia e Afonso Lobo assumem secretarias no governo do Estado

Rebecca se licenciou da Câmara dos Deputados e entra em substituição ao secretário de Governo, George Tasso, que estará, a partir de agora, À frente da Unidade Gestora do projeto da Cidade Universitária (UG Cidade Universitária) 11/12/2012 às 09:15
Show 1
Governador do Amazonas, Omar Aziz, e o vice, José Melo, empossam os novos secretários de estado, Rebeca Garcia e Afonso Lobo
Ana Carolina Barbosa Manaus (AM)

Reduzir custos realizando cortes e aumentar a receita própria do Estado serão as duas principais missões determinadas pelo governador Omar Aziz a Rebecca Garcia e Afonso Lobo, secretários de Estado de Governo (Segov) e da Fazenda (Sefaz), respectivamente, os quais foram empossados, nesta segunda-feira (10/12), em cerimônia na sede do governo - Compensa, Zona Oeste. “Não é um pedido, é uma determinação do governador”, frisou o chefe do executivo estadual, que não comentou se haverá novas substituições no secretariado.

 Em uma extensa cerimônia, foram exonerados Isper Abrahim – o qual estava à frente da Sefaz desde 2004 – e George Tasso – que já ocupou o cargo de secretário de Assuntos Fundiários e que estava à frente da Segov desde janeiro de 2011 e agora assumirá a Unidade Gestora da Cidade Universitária, projeto a ser desenvolvido em Iranduba (a 22 quilômetros de Manaus). Em seguida, tomaram posse Rebecca - que deixa a Câmara Federal a dois anos do fim do seu mandato de deputada - e Afonso Lobo - funcionário de carreira da Sefaz, com 23 anos de experiência.

Após elogiar o desempenho dos ex-secretários, Omar ressaltou que caberá a Rebecca a articulação para a redução de gastos no governo os quais “não dão qualquer tipo de resultado na atividade fim”, mas alertou que os cortes deverão ser feitos “sem perder a excelência”. O governador não especificou quais áreas sofrerão cortes.

Ele também destacou que entre as metas da Segov estarão mecanismos que viabilizem a implantação de programas que já existem na capital, no interior do Amazonas, a exemplo do Viver Melhor e o Oportunidade de Renda. Outra prioridade será a reforma de casas de portadores de necessidades especiais nos municípios do Estado, a construção de 23 escolas de tempo integral e, a partir da ajuda do Governo Federal, colocar em funcionamento 18 aeroportos do interior e construir outros sete.

Desafio

Para Afonso Lobo, os principais desafios serão aumentar a receita própria do Estado, que, segundo ele, hoje, é de R$ 8 bilhões ao ano, e manter a capacidade de investimentos – atualmente de 6,5% (R$ 700 milhões), percentual que coloca o Amazonas na segunda posição no ranking nacional neste quesito. A pretensão é que a receita chegue a R$ 12 bilhões.

“Há muito tempo a Sefaz não tem um secretário dos quadros da secretaria e estamos devolvendo à Sefaz um agora”, disse o governador, ressaltando as qualidades técnicas de Lobo. “Até 31 de dezembro de 2014 vamos honrar tudo o que prometemos sem comprometer o Estado”, garantiu Omar.

Rebecca trabalhará por calhas

Rebecca Garcia deixou afastou-se da Câmara dos Deputados deixando no seu lugar Luiz Fernando Nicolau (PSD), primeiro suplente da coligação e pai do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Ricardo Nicolau (PSD). A secretária disse que, a exemplo do que cogitou-se no início do mandato de Omar Aziz, a articulação no interior será feita por calhas e o cronograma começará a ser definido amanhã, quando ela conversará com o governador a respeito.

“Vamos priorizar a transversalidade e, no interior, farei um levantamento de tudo que está em andamento, de tudo que foi compromisso de campanha do governador e, em cima desse cenário, poderei ajudar a dar andamento para que em 2014 o Omar possa sair do governo tendo cumprido todos os seus compromissos com o povo do Amazonas”

Rebecca receberá, nos próximos dias, informações financeiras para definir, ainda, onde ocorrerão os cortes na máquina estadual. “A partir de amanhã vou ter acesso aos custos”, comentou.

“Tive a oportunidade de ‘fazer’ o Estado inteiro por três vezes na companhia do governador e sei que existem problemas de logística para chegar a esses municípios. Por isso, trabalharemos por calhas”, acrescentou. Para executar as tarefas determinadas pelo chefe do executivo, ela montará uma equipe técnica que a auxiliará no caminho para alcançar as metas.

Eleição

Questionada sobre a possibilidade de candidatar-se na próxima eleição, a recém-empossada secretária garantiu que deixará a função no prazo estabelecido por lei para agentes públicos concorrerem a cargos eletivos.

Contudo, ela não soube dizer se concorrerá à reeleição ou se irá se candidatar ao Senado, possibilidade que ela não descartou, mas que dependerá do “clima” político.

“Eu não tenho nada programado para as próximas eleições, mas tenho definido que volto para a Câmara no prazo estabelecido”. Segundo a legislação vigente, secretário de estado deve se desincompatibilizar e seis meses antes se for comncorrer a cargos como deputado ou senador. A informação é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 


<!-- /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:"Times New Roman"; mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}-->