Publicidade
Cotidiano
Notícias

Rio+20: Governo do Amazonas apresenta Carta da Amazônia em Fórum de Secretários

O Governo do Amazonas foi destaque na manhã desta segunda-feira (18) no Encontro de Secretários Estaduais de Meio Ambiente, realizado no stand do Rio de Janeiro, no Parque dos Atletas, como parte da programação da Conferência Rio+20 18/06/2012 às 21:05
Show 1
Manifestantes da Marcha à Ré contra a Rio+20 queimam mapa do Brasil em frente ao prédio do BNDES, no centro do Rio de Janeiro
acritica.com ---

O Governo do Amazonas foi destaque na manhã desta segunda-feira (18) no Encontro de Secretários Estaduais de Meio Ambiente, realizado no stand do Rio de Janeiro, no Parque dos Atletas, como parte da programação da Conferência Rio+20. A titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Nádia Ferreira, foi convidada para relatar o resumo do processo de construção da Carta da Amazônia para a Rio+20.

O evento, realizado pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema), teve por objetivo apresentar as propostas e recomendações formuladas pelos estados com a participação da sociedade civil, para o desenvolvimento sustentável, retratadas na Carta da Amazônia.

A ideia de construção da Carta foi proposta pelo Governador do Amazonas, Omar Aziz, com o objetivo de unificar e aproximar as agendas dos nove Estados da Amazônia Brasileira orientadas para o desenvolvimento sustentável, levando em consideração suas realidades e desafios comuns, tendo como guia as necessidades, o conhecimento e a visão da sociedade civil local.

A titular da SDS, Nádia Ferreira, ressaltou a importância do Fórum de Secretários da Amazônia, como pontapé inicial para a união dos Estados, que resultou na Carta. "Isso aconteceu em função do Fórum dos Secretários da Amazônia e do comprometimento de todos os secretários aqui presentes, que se imbuíram no propósito de promover mudanças nas políticas públicas da região. Então, ficou mais fácil de trabalhar a proposta de elaborar uma Carta, que agora passou a ser um Pacto, que vem com compromissos e meta", destacou Nádia.

Para a secretária, mais importante do que mobilizar a sociedade, será agir para pôr em prática as demandas do documento. "O trabalho que temos daqui pra frente em traduzir todas aquelas demandas da sociedade será o grande desafio. O documento representa os anseios de aproximadamente 25 milhões de brasileiros que escolheram a Amazônia para viver", disse Nádia.

A documento é resultado de um amplo processo de diálogos e debates, promovidos pelo Fórum de Secretários de Meio Ambiente da Amazônia, com os nove grupos majoritários de cada Estado da Amazônia Brasileira.

Pacto da Amazônia

O Pacto para o desenvolvimento sustentável da Amazônia é um documento inovador e propositivo, construído por meio do trabalho coletivo entre os governos estaduais e demais grupos majoritários da Amazônia Legal. Nas 73 páginas do documento são encontrados importantes reconhecimentos e compromissos para o desenvolvimento sustentável da região, divididos em dois eixos temáticos, “Bases para a Sustentabilidade” e “Economia da Sustentabilidade e Inovação”. Ao final, são elencadas demandas para o governo federal e demais países.

“Sentimos a necessidade de fazer com que a Amazônia tivesse uma representatividade mais forte na Rio+20, porque percebemos que as preparações da conferência vinham acontecendo e, até então, não havia um olhar para a Amazônia”, ressalta Nádia Ferreira.

Dentre os principais objetivos do Pacto estão à identificação e o reconhecimento dos desafios e das oportunidades da região, a proposição de ações concretas e ambiciosas, que possam guiar desenvolvimento sustentável da Amazônia e o estabelecimento de uma agenda comum entre os Estados da Amazônia Brasileira.

“O Pacto para o desenvolvimento sustentável da Amazônia representa o futuro que a Amazônia quer”, conclui João Talocchi, coordenador do Centro Estadual de Mudanças Climáticas do Amazonas (Ceclima), ressaltando, ainda, que “o documento e seu processo de construção provam que, quando há um objetivo comum, é possível trabalhar de maneira ágil, integrada e participativa.”

Durante a Conferência Rio+20, os Estados da Amazônia continuam a atuar de maneira conjunta, por meio do “Espaço Amazônia Brasileira”, localizado no Parque dos Atletas e aberto à visitação do público.

*Com informações da Agência de Comunicação do Amazonas (Agecom).