Publicidade
Cotidiano
Notícias

Rio x Nal – O clássico de maior rivalidade do Amazonas será neste sábado, em Manaus

Pela 146ª vez Rio Negro e Nacional vão se enfrentar neste sábado, no Estádio Roberto Simonsen, SESI, Zona Leste, pela sétima rodada da série A, do Campeonato Amazonense de 2012 17/02/2012 às 14:31
Show 1
146º Rio x Nal será neste sábado, em Manaus
Lorenna Serrão Manaus

Um jogo acirrado, cheio de emoção e rivalidade. É assim o Rio X Nal, que desde 1960 é considerado um dos clássicos mais famosos do futebol local. É claro que em 52 anos muita coisa mudou, mas clássico é sempre clássico. Por isso, os dois clubes que já se enfrentaram 145 vezes e que vivem momentos diferentes no Campeonato Amazonense de 2012, consideram a partida deste sábado (18), no Estádio Roberto Simonsen – SESI, São José, Zona Leste de Manaus, como mais um confronto complicado e cheio de surpresas.

Nas últimas semanas, o Nacional passou por uma reviravolta. O técnico Uidemar Oliveira pediu demissão depois do jogo contra o Fast, válido pela 4ª rodada e o preparador físico Paulão teve assumir a equipe. Depois de vencer o Holanda na Colina, na quinta-rodada, Naça sofreu um baque inesperado ao ser derrotado pelo Iranduba, lanterna da competição, por 2 a 1. Este resultado deixou o elenco em estado de alerta e os dirigentes tiveram que correr em busca de um novo técnico.


Leo Goiano assumiu o cargo de comandante do Leão nesta quinta-feira (16), ele disse que o Nacional é um time grande, mas que precisa se comportar como tal.

“Temos que encontrar o caminho da vitória o mais rápido possível, a equipe está bem fisicamente existem uns atributos bons que foram deixados pela outra comissão e que devem ser conservados, mas nós precisamos evoluir em algumas coisas também. Precisamos ter atitude, não adianta só ter o rótulo de time grande, temos que jogar como uma equipe grande”, completou.

Sobre o elenco titular deste sábado, o treinador disse que possivelmente haverá mudanças, mas preferiu não falar quais serão.

“Nós temos muitas ideias, cada treinador pensa diferente, o time deve mudar, mas eu não quero me precipitar, por isso não vou falar sobre essas coisas agora”, comentou Goiano.

Para o técnico, o Nacional não será o favorito do Rio x Nal deste sábado. Ele acredita que as duas equipes se igualam no quesito emoção e diz que apesar dos contratempos, o Galo merece respeito.

“Nível motivacional das duas equipes é grande e nós precisamos controlar isso e mostrar segurança, foi apenas um dia de trabalho e no futebol não existe mágica, eu não vendo sonhos, acredito no trabalho, mas o clássico se define em detalhes e quem tiver mais atitudes vai levar o resultado. O Rio Negro vive uma fase complicada, porém nós conhecemos a envergadura desse time e respeitamos isso, por isso treinamos forte para encará-lo amanhã (sábado)”, finalizou.


Não é de hoje que o Rio Negro enfrenta uma situação delicada. Em 2011, as ameaças de crises, que circularam no Galo esta semana, também rolavam no plantel. Antes do jogo desta quarta-feira (15), contra o São Raimundo, os jogadores mais uma vez falaram sobre o assunto e ensaiaram um W.O, mas horas antes do início da partida resolveram entrar em campo.

No mesmo dia, mais um golpe. Carlos Tozzi, até então técnico do Rio Negro, viajou as pressas para o Rio de Janeiro e não avisou os dirigentes que decidiram que mesmo se ele voltasse não ficaria mais a frente do clube. Então, Paulo Feitosa, auxiliar técnico, assumiu o grupo.

“O Rio Negro tem uma história bonita no futebol amazonense, não podemos aceitar esta situação, ameaças de greves não agradam a ninguém, o presidente precisa resolver isso o quanto antes”, disse Paulo Feitosa – depois do empate de 1 a 1 contra o Tufão.

O Rio Negro também não está definido para o clássico Rio x Nal, segundo Feitosa, o time do Galo é muito pequeno e existem muitos jogadores pendurados.  

“Nós teremos uma reunião com a direção para definirmos essa situação, mas por enquanto não podemos dizer que time irá enfrentar o Nacional”, finalizou Feitosa.