Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sargento e um policial invadem e ameaçam atear fogo contra aeronave

De acordo com o delegado federal Josafá Batista Reis, o incidente aconteceu por volta das 16h30 desta sexta-feira (31). Um dos homens foi identificado como o sargento da Polícia Militar Luis Maia, e o outro apenas pelas iniciais L.L.M., também policial militar 31/08/2012 às 22:17
Show 1
Sargento Luis Maia e outro policial invadem avião no interior do Amazonas
Bruno Strahm Manaus (AM)

Sargento da polícia militar e um policial invadiram avião de táxi aéreo, empresa não identificada, no município do Juruá, a 674 quilômetros de Manaus (AM), ameaçando pilotos a atear fogo contra a aeronave, caso eles não embarcassem no voo. A aeronave que desembargou do município de Tefé seguia para Manaus.

De acordo com o delegado federal Josafá Batista Reis, o incidente aconteceu por volta das 16h30 desta sexta-feira (31). Um dos homens foi identificado como o sargento da Polícia Militar Luis Maia, e o outro apenas pelas iniciais L.L.M., também policial militar.

Segundo o delegado, o sargento e o policial não pagaram as passagens aéreas e invadiram o avião no momento em a aeronave estava pronta para decolar.

“Eles disseram que iriam pôr fogo no avião se caso não conseguissem entrar”, contou o delegado. Os dois foram presos pela Polícia Federal após um pouso no município de Tefé.

O delegado contou ainda que em pleno voo, os pilotos conseguiram informar à Polícia Federal, por meio do rádio, sobre a situação, e pousaram a aeronave no município de Tefé, por volta das 17h, onde uma equipe da PF já está de prontidão.

Em depoimento ao delegado federal Josafá Batista Reis, a dupla alegou que queria viajar até Manaus de qualquer maneira, e que por isso invadiu o avião, mesmo sem possuir passagens compradas.

O delegado afirmou que os homens não estavam armados e que foram enquadrados em cinco artigos do código penal: ameaça, expor ao perigo aeronave ou embarcação, opor-se à execução de ato legal, desobedecer ordem legal e desacato a funcionário público.

A Polícia Militar por meio de sua assessoria informou que ainda não tinha sido informada sobre o ocorrido e que irá investigar a situação.