Publicidade
Cotidiano
Notícias

Secretaria de Cultura salva árvore de Pau Brasil em frente ao Palácio Rio Negro

Espécie, avariada durante temporal, foi "operada" com ajuda de construtora e orientação de pesquisador do Inpa 10/10/2012 às 00:05
Show 1
Secretaria de Cultura "salva" árvore de Pau Brasil em frente ao Palácio Rio Negro
acritica.com Manaus

A Secretaria de Estrado de Cultura (SEC) concluiu na manhã desta segunda-feira (8) o salvamento de uma árvore de pau brasil na frente do prédio do Centro Cultural Palácio Rio Negro. A espécie havia sido avariada gravemente pelo último temporal que caiu sobre nossa cidade e  vergou com rachaduras em várias partes do tronco, segundo informou a secretaria.

Antes da "operação", a primeira providência adotada pela secretaria foi promover uma inspeção pelo cientista do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Inpa, Kaka Bonates, que orientou o tratamento que deveria ser aplicado, inicialmente com a amarração do tronco na parte fissurada, de modo a evitar que o pau brasil continuasse em sofrimento e se desprendesse inteiramente. “Tal medida foi adotada imediatamente”, informou a SEC.

De acordo com o órgão, a fase seguinte foi a utilização de um guincho, cedido sem ônus pela construtora Andrade Gutierrez, que levantou a árvore até a recomposição possível do tronco, para ser feita uma amarração direta com corda de nylon, em caráter de emergência, e edificada uma base de sustentação em madeira, como se fosse um andaime de construção civil que vai suportar todo o peso do tronco, até a sua recuperação, ou que outro ramo novo brote do mesmo tronco principal.


Segundo o secretário de Cultura, Robério Braga, a espécie foi plantada há mais de 40 anos. “Foram espécies plantadas pelo engenheiro agrônomo Cesar Najar Fernandes, há muitos anos, mais de 40 anos, quando o Palácio ainda era sede do governo do Estado, e são raras de se obter, de vida longa e traduzem a história mais remota do Brasil, porque deram nome ao nosso País”, contou Robério, eleito duas vezes vereador com campanhas que incluíram a distribuição de mudas de árvores de casa em casa.

Para o cientista do Inpa Kaká Bonates  “essa era a única providência possível diante do dano que o temporal causou ao Pau Brasil, ou então o corte da árvore, o que o secretario não autorizou a ser feito”.

A "operação" da árvore em frente ao Palácio Rio Negro ocorre quase um mês após o polêmico corte de uma mangueira no Largo São Sebastião, que provocou grande comoção nas redes sociais.