Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sem tráfego de veículos, av. Eduardo Ribeiro se transforma em estacionamento rotativo

Motoristas estão utilizando como estacionamento a pista central do primeiro trecho da nova avenida Eduardo Ribeiro, entre a praça do Congresso e a rua 10 de Julho, no Centro de Manaus 21/01/2016 às 14:47
Show 1
Carros estacionados no meio da av. Eduardo Ribeiro, que segue fechada por conta de obras, levanta dúvidas sobre regularidade
Marcela Moraes Manaus (AM)

A procissão em comemoração ao dia de São Sebastião que ocorreu na noite esta última quarta-feira (20) levou centenas de fiéis ao Centro de Manaus. Por conta disso, muitos motoristas de veículos precisaram improvisar locais para estacionar e alguns, amparados por "flanelinhas", resolveram parar no final da avenida Eduardo Ribeiro - entre a praça do Congresso e a rua 10 de Julho, único trecho liberado das obras de revitalização da via -, que não recebe o tráfego de automóveis. No entanto, o que era para ser algo provisório se repetiu novamente nesta quinta-feira (21), logo pela manhã.

Como todas as vagas disponíveis para estacionamento nas laterais da via rapidamente se esgotaram, motoristas começaram a ocupar a pista central da avenida. Os flanelinhas da área passaram então a organizar os carros em fila indiana e logo os veículos tomaram conta do espaço. 


Avenida no fim da tarde de quarta-feira, dia da Procissão

O autônomo Aldenir Uchôa, de 39 anos, foi um dos motoristas que ocupou uma dessas das vagas nesta quinta. Segundo ele, não há tráfego de carros por conta da rua 10 de Julho estar fechada para obras e também não há nenhuma sinalização ou fiscalização dizendo se é permitido ou não estacionar, por isso ele resolveu colocar o seu carro naquela área.

“Geralmente estaciono próximo à Santa Casa. Com o fechamento da Eduarda Ribeiro para as obras, diminuíram as vagas para estacionamento. Eu vi os carros estacionados aqui e deduzi que podia parar. Perguntei ao flanelinha e ele disse que é permitido colocar os carros aqui sim”, disse o autônomo.


A via já na manhã desta quinta-feira

José Maria Modesto, 30, um dos flanelinhas do local, afirmou que por conta do evento desta quarta-feira, a procura por vagas de estacionamento foi grande e, como não houve problema, alguns motoristas também voltaram a estacionar novamente na quinta.

“Como a avenida está fechada provisoriamente para as obras, os motoristas vêem o local disponível e acabam ficando mesmo”, disse.