Publicidade
Cotidiano
Votação

Senadores decidem se Dilma deve ou não enfrentar o processo de impeachment

Serão realizados três blocos, com intervalo de uma hora entre cada um: o primeiro será de 8h às 11h; o segundo, de 12h até as 17h; e o terceiro a partir das 18h e até o fim da votação 10/05/2016 às 20:00 - Atualizado em 10/05/2016 às 21:53
Show 22550222056 9bac0c04e8 k
Se a abertura do impeachment for aprovada, Dilma deixará o governo por até 180 dias, e a presidência será ocupada de forma interina pelo vice-presidente Michel Temer
ACRITICA.COM

Hoje, o Senado Federal se reunirá, a partir das 8h (horário de Manaus) para decidir se o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff deve ser aberto ou não. Se a abertura do impeachment for aprovada, Dilma deixará o governo por até 180 dias, e a presidência será ocupada de forma interina pelo vice-presidente Michel Temer, que até já definiu a maior parte de seu eventual ministério.

Tanto a presidente Dilma Rousseff quanto o vice, Michel Temer, que assumirá interinamente, planejam fazer pronunciamentos à nação hoje. A presidente considera se endereçar à nação antes da decisão do plenário da Casa. A petista não definiu ainda se convocará cadeia nacional de rádio ou televisão, se gravará vídeo para as redes sociais ou se dará uma entrevista aos veículos de imprensa.

Como será a votação

O presidente do Senado, Renan Calheiros, disse que serão realizados três blocos do encontro, com intervalo de uma hora entre cada uma delas: o primeiro ocorrerá de 8h às 11h; o segundo, de 12h até as 17h; e o terceiro começa a partir das 18h e vai até o fim da votação, que será feita por meio do painel eletrônico para evitar votos longos “pela família, pela esposa, pelos filhos etc”, como ocorreu na Câmara dos Deputados.

 Mas os senadores poderão se manifestar na tribuna antes da votação. Cada senador falará por até 15 minutos. Uma lista de inscrição foi aberta ontem. Em seguida, o relator do pedido de abertura de processo na Comissão Especial do Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, vão se manifestar também pelo prazo de 15 minutos.

Ao final das manifestações, o presidente do Senado colocará o pedido em desfavor de Dilma e abrirá a votação de fato. A presidente será afastada se a maioria dos senadores – com o registro de presença de pelo menos 41 deles – concordar com o parecer de Anastasia. O pedido de impeachment será arquivado se isso não ocorrer – hipótese tida como pouco provável.

*Com informações das agências