Publicidade
Cotidiano
CÂMARA DE PARINTINS

Servidor que instalou câmera visitava sites pornográficos de computador do órgão

Funcionário da Câmara Municipal de Parintins foi suspenso por 30 dias após instalar microcâmera no banheiro do local. Segundo o presidente da Casa, homem disse estar "arrependido" e "envergonhado" 05/09/2017 às 16:47 - Atualizado em 05/09/2017 às 16:49
Show show camara
Foto: Reprodução
Oswaldo Neto Manaus (AM)

O funcionário da Câmara Municipal de Parintins (a 365 quilômetros de Manaus) que instalou uma microcâmera clandestina no banheiro do órgão foi suspenso por 30 dias após publicação de portaria nesta segunda-feira (4). O documento defende que a manutenção do servidor na Câmara poderá causar “prejuízo na instrução do Processo Administrativo”. O presidente da Casa, o vereador Maildson Fonseca (PSDB), afirmou nesta terça-feira (5) que uma averiguação constatou que o funcionário visitava sites pornográficos dos computadores do órgão.

De acordo com a portaria, a permanência do servidor no exercício das atividades causaria transtornos e favoreceria a repetição de irregularidades, até mesmo representando perigo ou constrangimento a ele. O documento também cita um abaixo assinado solicitando o afastamento imediato do servidor, assinado pelas funcionárias da Câmara de Parintins.

Por fim, a portaria suspende preventivamente o servidor por 30 dias, prazo que pode ser prorrogado.

O presidente da Câmara, vereador Maildson Fonseca, disse ao Portal A Crítica que o funcionário se manifestou sobre o ocorrido. “Nas palavras dele, ele disse estar arrependido e envergonhado. Ele também falou que está disposto a arcar com as conseqüências”.

Após a abertura da sindicância no dia 1º deste mês e a confirmação do funcionário como o autor do crime, uma equipe do órgão verificou os computadores da Câmara. Segundo o presidente, o funcionário tinha o hábito de visitar sites pornográficos dentro do ambiente de trabalho.

“Quando esse material foi encontrado, pedi que os computadores da Câmara fossem vasculhados para verificar se essas imagens foram colocadas em outro computador. Nada foi encontrado, mas no computador desse funcionário, verificamos o histórico e lá tinha vários sites pornográficos, o que nos leva a direcionar o processo administrativo para esse lado”, contou.

As imagens foram repassadas à Polícia Civil que deve adotar as medidas cabíveis. “Não podemos compactuar com uma situação que vai denegrir a imagem do parlamento parintinense. É um desrespeito com as senhoras e senhores que ali trabalham e que tem suas privacidades violadas por uma pessoa que tem esse comportamento”, declarou.